Chico Ferreira

Pesquisar este blog


.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Simões Filho: Líder quilombola é morto a tiros


Simões Filho: Líder quilombola é morto a tiros

Foto: Reprodução / Simões Filho Online
Um líder quilombola foi morto a tiros na manhã desta terça-feira (19) em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Segundo o site Simões Filho Online, Flavio Gabriel Pacifico dos Santos, de 36 anos, conhecido como “Binho do Quilombo”, foi morto com pelo menos dez tiros. Informações preliminares dão conta que homens não identificados, a bordo de um carro branco, surpreenderam a vítima e dispararam várias vezes. Binho do Quilombo estava dentro do carro dele a caminho de um enterro. O caso deve ser investigado pela 22ª Delegacia de Polícia e pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Além de líder comunitário, a vítima também era músico.

Advogado nega acusação de Palocci e diz que não conversou sobre imóvel do Instituto Lula


Advogado nega acusação de Palocci e diz que não conversou sobre imóvel do Instituto Lula


O advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Roberto Teixeira, negou ter conversado com o ex-ministro Antonio Palocci sobre a compra de um imóvel para o Instituto Lula. Segundo informações do jornal O Globo, ele disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro que se limitou à análise jurídica dos documentos do imóvel, que inicialmente seria comprado pelo pecuarista José Carlos Bumlai para abrigar uma concessionária de veículos. "Eu posso me responsabilizar pelos documentos que fiz. Atuei como advogado. O resto não sei de absolutamente mais nada", afirmou. Palocci disse em depoimento a Moro que orientou Lula a receber doações legais para o Instituto Lula, enquanto Teixeira e Bumlai teriam defendido pagamentos por fora. Teixeira foi o último réu a ser ouvido por Moro na ação em que Lula é investigado por supostas propinas no valor de R$ 75 milhões pagas pela Odebrecht. Agora o processo entra na fase em que as defesas e o Ministério Público Federal vão apresentar as considerações finais.

Lúcio ‘reaparece’ e diz que Geddel vai se defender nos autos do processo



Lúcio ‘reaparece’ e diz que Geddel vai se defender nos autos do processo





Fora dos holofotes desde a prisão do irmão, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) afirmou nesta terça-feira (19) que o ex-ministro Geddel Vieira Lima  se defenderá nos autos do processo. "Sempre defendi que todo cidadão brasileiro, quando sofre uma acusação, deve ter o benefício da dúvida e o amplo direito de defesa. E é isso que espero do Judiciário brasileiro: que dê a ele o amplo direito de defesa, que será manifestado nos autos", afirmou em entrevista ao blog da jornalista Andréia Sadi, do G1. Ainda segundo a publicação, o peemedebista se negou a falar sobre uma possível delação premiada do irmão, especulada nos bastidores políticos, ou perguntas relacionadas à prisão do ex-ministro. Ele também negou que tenha conversado com o presidente Michel Temer após a prisão de Geddel e afirmou que não visitou o irmão na prisão. 

Justiça aceita denúncia e Lula vira réu pela 7ª vez




O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva virou mais uma vez réu na Operação Zelotes nesta terça-feira (19). O juiz Vallisney Oliveira, do Distrito Federal, recebeu na íntegra a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal no Distrito Federal.
Além de Lula, outras seis pessoas também viraram réus: Mauro Marcondes, José Ricardo da Silva, Alexandre Paes dos Santos, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, Paulo Arantes Ferraz e Gilberto Carvalho. Com informações da Folhapress.

Ex-prefeito de Sento Sé punido com multa de R$10 mil





O ex-prefeito do município de Sento Sé, no Norte da Bahia, Ednaldo dos Santos Barros, foi punido com multa no valor de R$10 mil e denunciado ao Ministério Público Estadual – para apuração de fatos que indicam crime de improbidade administrativa -, pelos conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios da sessão desta terça-feira (19.09). Isto porque, no exercício do mandato, em 2009, ele não cumpriu com o dever de devolver, com recursos municipais, à conta do Fundef/Fundeb, R$1.165.276,54, de um total de R$1.538.168,62 que foram aplicados em ações estranhas à Educação.
O conselheiro relator do processo, Plínio Carneiro Filho, determinou que a prefeita atual do município, Ana Luiza Rodrigues Passos, seja notificada e no prazo de 30 dias apresente proposta de parcelamento para o ressarcimento do valor devido à conta do Fundef/Fundeb. Caso não cumpra o determinado, segundo o relator, o fato dever ser levado em consideração – para eventual rejeição – na análise da contas da prefeitura de Sento Sé referentes a 2017.
Cabe recurso.

Alexandre Farias tem redução no edema cerebral



Do G1/Caruaru
Uma nova tomografia mostrou uma redução no edema cerebral do apresentador Alexandre Farias. A informação foi divulgada hoje, após os médicos do Hospital Unimed divulgarem o novo boletim médico com o estado de saúde do jornalista. Ele está internado desde o sábado, quando foi vítima de bala perdida no Alto do Moura, em Caruaru, Agreste de Pernambuco.
Alexandre Farias, que está no terceiro dia de internação, segue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sedado e em coma induzido. De acordo com o boletim, houve normalização da pressão intracraniana (PIC) e da pressão de perfusão cerebral (PPC). As funções renais, pulmonares, hepáticas e cardíacas dele também encontram-se normais.
Novas atualizações médicas do quadro clínico de Alexandre devem ser divulgadas no próximo boletim médico oficial, às 17h, desta terça-feira.


Planalto adia votação da Previdêndia para depois de apreciação de denúncia


Como já especulado por parlamentares do governo e oposição, o Palácio do Planalto decidiu deixar a votação da reforma da Previdência para depois da apreciação da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR). A expectativa era votar a pauta em outubro, mas se o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitar a denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer (PMDB), ela seguirá para apreciação na Câmara neste período. "Não dá para tentar votar tudo ao mesmo tempo. Não há capital político para isso. Nossa prioridade será a denúncia", disse um articulador político do governo, segundo informações do Blog do Camarotti, do G1. A medida vai contra o posicionamento admitido pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que chegou a gravar um vídeo pedindo para que os evangélicos orassem pela economia do país (veja aqui).

Pedido de suspeição contra Gilmar será pautado



Radar Online
A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, não se esqueceu do pedido de suspeição do também ministro Gilmar Mendes, feito por Eike Batista. A presidente do Supremo tem dito aos curiosos que o caso será pautado no plenário “em breve”. No tribunal, porém, ninguém acredita na possibilidade de os colegas acolherem o pleito dos advogados e afastarem Gilmar do processo.

CNT/MDA: aprovação do governo Temer é de 3,4%



O governo Michel Temer tem a pior avaliação da série histórica da pesquisa feita pelo Instituto MDA, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Realizada desde 1998, no primeiro mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a pesquisa divulgada nesta terça-feira aponta que apenas 3,4% dos brasileiros julgam a administração do peemedebista positiva (contra 10% da pesquisa anterior, em fevereiro). Os que desaprovam correspondem a 75% (ante 44%). E os que consideram o governo regular são 18% (eram 39%). A margem de erro é de 2,2%.
Com esta avaliação, Temer supera a desaprovação ao governo da ex-presidente Dilma Rousseff em julho de 2015, quando 71% dos entrevistados disseram estar descontentes com a gestão da petista.
Para realizar a pesquisa, pouco mais de 2 mil pessoas foram entrevistadas no período entre os dias 13 e 16 deste mês, em 137 em cinco regiões.
MAIS BAIXA AVALIAÇÃO PESSOAL
A avaliação pessoal do presidente também bateu o nível mais baixo da série, iniciada em 2011: 84% dos entrevistados desaprovam Temer. Em fevereiro, eram 62%. A segunda pior marca agora também é de Dilma, em outubro de 2015, quando foi pessoalmente desaprovada por 81%.
O índice de reprovação a Temer vem crescendo desde sua posse. Em junho do ano passado – após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff –, eram 40% os que reprovavam o presidente. Depois, o índice subiu para 51%, 62%, e agora está em 84%.
A aprovação caiu, no ano passado, de 34% em junho para 32% em outubro. Neste ano, em seguida, teve redução para 24% em fevereiro e, por fim, para 10% neste mês de setembro.
LULA NA FRENTE PARA 2018
Nos cenários para o pleito de 2018, Lula segue o favorito – inclusive no segundo turno –, seguido por Jair Bolsonaro, João Doria, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Ciro Gomes. No primeiro turno, nas intenções de voto espontâneas, Lula tem 20,2%; Bolsonaro, 10.9%; Doria, 2,4%; Marina, 1,5%; Alckmin, 1,2%, empatado com Ciro Gomes.
Ainda no primeiro turno, na intenção de voto estimulada, foram desenhados três cenários. Nos três, a classificação é a seguinte: Lula, Bolsonaro e Marina Silva. Os quartos colocados mudam entre Alckmin, Doria e Ciro Gomes.
Já para o segundo turno, a pesquisa CNT/MDA preparou 12 cenários estimulados. Em cinco, o nome de Lula foi colocado como opção de resposta. Ele lidera nos cinco: ganharia de Aécio (41,8% a 14,8%), Alckmin (40,6% a 23,2%), Doria (41,6% a 25,2%), Bolsonaro (40,5% a 29,5%) e Marina (39,8% a 25,8%). Bolsonaro teria o melhor desempenho nesses cenários de derrota para o petista.
Marina só não ganharia de Lula: derrotaria Alckmin (28,4% a 23,6%), Aécio ( 33,6% a 13%), Doria (30,5% a 22,7%) e Bolsonaro (29,2% a 27,9%). Ainda em votações estimulados para o segundo turno, Bolsonaro venceria Alckmin (28% a 23,8%), Aécio (32% a 13,9%) e Doria (28,5% a 23,9%).
Os entrevistados também foram questionados da possibilidade de voto especificamente em um concorrente. Aécio foi o candidato com maior índice de quem não votaria nele "de jeito nenhum": 69,5%. Ele é seguido nesse quesito por Ciro Gomes (54,8%), Alckmin (52,3%), Bolsonaro (45,4%), Doria (42,9%), Lula (50,5%) e Marina Silva (51,5%).
PERDA DA ESPERANÇA NOS POLÍTICOS
A despeito da reprovação negativa recorde de Temer – da gestão e pessoal –, 67,7% dos entrevistados disseram que não pretendem protestar pela saída do peemedebista. Quando foram perguntados por que as manifestações contra Michel Temer diminuíram, 50,3% responderam que perderam a esperança com os atuais políticos; 25,4% alegaram falta de perspectivas de mudança a curto prazo; 16,3% justificaram pela saída do PT da Presidência; para 3,9%, há menos motivos para protestar.
Dentre os entrevistados, 94,3% responderam que o Brasil passa por uma crise política. Destes, 49,9% opinaram que a crise não seria solucionada com a troca do presidente da República, ao passo que 41,2% afirmaram que seria.
Para 80%, Michel Temer não está fazendo as reformas necessárias ao país. Já 13,7% acreditam que está. Ao se comparar Temer a Dilma, 55,4% disseram não confiar em nenhum dos dois. Outros 30,1% disseram ter mais confiança na petista, enquanto 11,6% afirmaram confiar mais no peemedebista.
Quanto à oferta de emprego, 37,2% avaliam que está melhorando, contra 32,7% que acreditam estar piorando. A percepção de melhora no emprego é, majoritariamente, que a retomada acontece lentamente. Dos 37,2%, 31,1% disseram que a oferta melhora em ritmo lento; 6%, em ritmo moderado; e 0,1%, aceleradamente.
LAVA JATO
A Lava-Jato teve apoio de 78,5%, enquanto 9,3% desaprovaram a operação. Outros 7,7% não aprovam nem desaprovam. Para 54%, a operação da Polícia Federal beneficia o país. Já 24% disseram que não beneficia nem prejudica. E 15,9% acham que ela prejudica o Brasil.

Prefeitura de Juazeiro participa da aprovação do Plano de Bacia do Rio Salitre


Na última sexta-feira (15) representando o Poder Público Municipal, o Secretário de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano, Agenor Souza participou da votação para aprovar o Plano de Sustentabilidade dos Recursos Hídricos pelo Comitê de Bacia do Rio Salitre que aconteceu no distrito do Junco, em Juazeiro.
Com a aprovação do Plano e da Proposta de Enquadramento do Corpos de Águas do Rio Salitre será possível gerir e beneficiar também os moradores de Morro do Chapéu, Várzea Nova, Miguel Calmon, Umburanas, Jacobina, Mirangaba e Campo Formoso. Agora a documentação passará pela revisão e apreciação final do Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CONERH) e o Conselho Estadual de Meio Ambiente (CEPRAM).
Os próximos passos serão: a capacitação dos membros - neste foi proposta a criação de um grupo gestor do INEMA para que consolide e tenha continuidade as discussões caso algum membro se afaste; a formação da Agência Legatária e por fim a discussão da educação ambiental e conscientização para o uso dos recursos.
Pela primeira vez foi criado um Plano de Bacia para o Rio Salitre, após um ano das fases de diagnóstico, prognóstico, oficinas temáticas e plenárias de aprovação. “Essa foi uma longa caminhada, mas que foi cumprida, assim como estava descrito no programa de governo do prefeito Paulo Bomfim com pautas voltadas para o meio ambiente e em defesa do Rio Salitre e do Rio São Francisco. Como representante municipal e conhecedor da situação do Salitre, tenho cada vez mais força e vontade de lutar para que nossa maior riqueza não acabe” explicou Agenor Souza.
O Comitê do Rio Salitre:
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Salitre foi criado pelo Decreto nº 10.197 de 22 de março de 2006. Composto por 36 membros, dentre titulares e suplentes, sua estrutura é paritária entre Poder Público Estadual, Poder Público Municipal, usuários de recursos hídricos e Sociedade Civil Organizada.
O CBH Salitre tem como finalidade promover a gestão dos recursos hídricos, considerando a totalidade da Bacia Hidrográfica do rio Salitre como unidade territorial de planejamento e gestão; articular a viabilidade técnica, econômica e financeira de programas e projetos de investimentos e apoiar a integração entre as políticas públicas e setoriais, visando a sustentabilidade socioambiental da bacia hidrográfica como um todo; estabelecer parcerias para criação de novas tecnologias e capacitar recursos humanos voltados para a conservação dos recursos hídricos e do meio ambiente e orientar os usuários de recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Salitre no sentido de adotar os instrumentos legais necessários ao cumprimento da Política de Recursos Hídricos do Estado.
Débora Sousa/ Ascom PMJ

Jungmann quer explicações sobre declaração de general



O ministro da Defesa, Raul Jungmann, convocou, ontem, o general Eduardo Villas Bôas, para pedir explicações após a repercussão negativa das declarações do general da ativa Antonio Hamilton Martins Mourão.
O Exército tenta contornar a situação, já que Mourão tem uma forte liderança na tropa. Na sexta-feira passada, em palestra, o general da ativa defendeu a possibilidade de intervenção militar diante da crise enfrentada pelo País, caso a situação não seja resolvida pelas próprias instituições.
Por meio de nota, o ministro da Defesa afirmou que também orientou o comandante "quanto às providências a serem tomadas", mas não explicou quais seriam essas medidas.
No fim de semana, ao tomar conhecimento das afirmações, Jungmann relatou o fato ao presidente Michel Temer e avisou que deixou nas mãos do comandante a decisão sobre como conduzir o caso. O general Villas Bôas ouviu as explicações do general e disse que o problema estava "superado". Mourão já protagonizou outro desconforto político em outubro de 2015, quando criticou o governo da presidente cassada Dilma Rousseff. Pelo Regulamento Disciplinar do Exército, o general pode ser punido por dar declarações de cunho político, sem autorização de seu superior hierárquico.
A decisão do comandante do Exército foi interpretada como uma tentativa de abafar o caso e não teria agradado a Jungmann. O ministro esperava algum tipo de sinal de que esse tipo de declaração não pode ser tolerado. De acordo com integrantes do Alto Comando, Mourão está exatamente a seis meses de deixar o serviço ativo.

Temer janta com Trump: protestos no hotel


Na entrada do hotel Lotte Palace New York, do outro lado da rua, um pequeno grupo de brasileiros protestava contra a presença do presidente


Em suas primeiras horas em Nova York, o presidente Michel Temer não escapou de ouvir protestos e gritos de “Fora Temer” na sua chegada ao hotel em que se encontraria com o presidente norte-americano, Donald Trump, para um jantar.
Temer chegou no final da tarde desta segunda-feira a Nova York, onde participa da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. Seu primeiro compromisso foi um jantar com Trump, no hotel Lotte Palace New York, do qual participaram também o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, e a vice-presidente argentina, Gabriela Michetti.
Na entrada do hotel, do outro lado da rua, um pequeno grupo de brasileiros protestava contra a presença do presidente. Segundo assessores, Temer não chegou a ver o protesto.
O jantar, chamado pelo presidente norte-americano, tem como tema central a longa crise venezuelana.
Na abertura do encontro, Trump disse aos presidentes latino-americanos que a situação na Venezuela é “inaceitável”, que o país está em colapso e a população passando fome.
O jantar foi programado pelo governo norte-americano para tentar aumentar a pressão da região sobre o governo de Nicolás Maduro.
Trump já afirmou mais de uma vez que pode tomar medidas duras contra a Venezuela –inclusive ação militar– e, durante sua fala na abertura do Jantar, repetiu que pode tomar “medidas adicionais” se o país continuar em uma escalada autoritária.
O governo brasileiro tinha intenção de conseguir alguns momentos para discutir temas bilaterais, como o comércio de etanol e o acordo open skies, ambos com negociações travadas. Mas diplomatas brasileiros admitem que dificilmente haveria espaço para avançar nesses temas.

Janot: "Escroques ainda ocupam cargos na República"



Jornal do Brasil
Nos últimos minutos como procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot endereçou uma carta de quatro páginas a todos os procuradores e servidores do Ministério Público Federal (MPF) afirmando que “escroques” ainda ocupam cargos “em nossa República”.
"Espero que a semente plantada germine, frutifique e que esse trabalho coletivo de combate à corrupção sirva como inspiração para a atual e futuras gerações brasileiros honrados e honestos", escreveu Janot, continuando: "Precisamos acreditar nessa ideia e trabalhar incessantemente para retomar os rumos deste país, colocando-o a serviço de todos os brasileiros, e não apenas da parcela de larápios egoístas e escroques ousados que, infelizmente, ainda ocupam vistosos cargos em nossa República".
"Ao fim desses dois mandatos que me foram outorgados pelos meus pares, entrego-lhes um Ministério Público diferente do que o que recebi dos meus antecessores", escreveu Janot
A mensagem enviada no fim deste último domingo (17) pelo sistema interno do MP também desejou boa sorte à sucessora do cargo, Raquel Dodge, sem deixar de mencionar que quando eleito procurador-geral, Janot era o primeiro da lista tríplice da categoria – ela ficou em segundo lugar e foi indicada pelo presidente Michel Temer. O mais votado foi Nicolao Dino, aliado de Janot.
"Ao fim desses dois mandatos que me foram outorgados pelos meus pares, entrego-lhes um Ministério Público diferente do que o que recebi dos meus antecessores", escreveu Janot, finalizando: "Construí, com um grupo de colegas, o projeto que foi submetido, em 2013, ao crivo da lista tríplice. Os membros do MPF confiaram em mim e nas ideias de inovação que minhas propostas representavam. Fui então o primeiro da lista tríplice.

Com Dodge, lei é para todos, mas sem tanta pressa



Helena Chagas – Blog Os Divergentes
Foi irrepreensível o discurso de posse da nova PGR, Raquel Dodge, que evocou a figura incontestável do Papa Francisco para reafirmar a disposição de continuar combatendo a corrupção. Não pode haver reparos a afirmações como a de que ninguém está acima e nem abaixo da lei. Neste seu primeiro pronunciamento, porém, Dodge deixa o caminho aberto para mudanças que vão além do estilo diferente do de Rodrigo Janot.
Ao dizer, por exemplo, que o Ministério Público tem obrigação de exercer com igual ênfase a função criminal e a de defesa dos direitos humanos e das minorias, além de mencionar temas como o da violência, a nova PGR abre uma avenida de possibilidades para dar mais espaço a outros temas – e, portanto, menos à Lava Jato. Dar menos espaço, note-se, não equivale a negligenciar. Mas pode corresponder a uma ação menos rápida e agressiva.
A praticamente um ano das eleições do ano que vem, não é preciso muito para que ministros e outros ocupantes do governo – e não apenas o presidente da República- sejam poupados de ações e condenações enquanto estão no cargo. Basta não correr na aprovação de delações premiadas e na apresentação de denúncias.
Além da maioria que Michel Temer tem na Câmara para barrar sua segunda denúncia, o presidente e seu grupo, denunciados no “quadrilhão” do PMDB, apostam na restauração do que chamam de ritmo normal da Justiça – que não se verificou e deu lugar a uma inédita aceleração nos últimos tempos da era Janot.
Está nas mãos de Raquel Dodge, por exemplo, demorar mais ou menos na celebração dos acordos de delação premiada de Antônio Palocci e outros. Da mesma forma, cabe à nova PGR se posicionar sobre provas resultantes da já anulada colaboração premiada da JBS. Sem falar no que fazer diante de fatos novos envolvendo atitudes de seu antecessor, como a entrevista do procurador Angelo Villela na Folha de S.Paulo dizendo que Janot trabalhou para derrubar Michel Temer.

Planalto vê Geddel instável e com chances de delatar


Aliados do governo dão como certo que o ex-ministro tente, em breve, acordo de colaboração premiada com o Ministério Público

O Estado de S.Paulo Carla Araújo e Tânia Monteiro
O Palácio do Planalto se preocupa hoje mais com a possibilidade de o ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso desde o dia 8, fechar um acordo de delação premiada do que com a nova denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República na semana passada contra o presidente Michel Temer. 
A avaliação de auxiliares próximos a Temer é de que a segunda acusação formal oferecida pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que acusa o presidente de liderar uma organização criminosa e de obstruir a Justiça, terá um placar mais favorável que a primeira acusação quando chegar ao plenário da Câmara dos Deputados. Em agosto, quando a Procuradoria denunciou Temer por corrupção passiva, 263 deputados votaram por barrar o prosseguimento da acusação.
Já em relação a Geddel, a avaliação no Planalto é de que a situação é “praticamente incontornável” depois que a Polícia Federal encontrou R$ 51 milhões em espécie em um apartamento em Salvador, onde foram identificadas as impressões digitais do ex-ministro. 
Parte inferior do formulário
Até a primeira prisão do ex-ministro, no dia 3 de julho, baseada em depoimentos do corretor Lúcio Funaro e de sua mulher, Raquel Pitta, a avaliação era de que seria possível obter sucesso na defesa técnica, uma vez que não existiam provas concretas da tentativa de obstrução da Justiça. 
A apreensão do dinheiro, entretanto, segundo os investigadores, jogou por terra o discurso da defesa de que as acusações eram versões de delatores interessados em benefícios. Os R$ 51 milhões materializaram as provas necessárias para sustentar as afirmações dos colaboradores. A homologação da delação de Funaro fortaleceu a tese da acusação contra Geddel.
Além disso, o ex-diretor de Defesa Civil de Salvador Gustavo Pedreira, apontado como homem de confiança de Geddel, cujas impressões digitais também foram encontradas no apartamento, afirmou estar disposto a colaborar com as investigações. Ele já confirmou ter buscado dinheiro em São Paulo a pedido de Geddel. Não está descartada a possibilidade de o ex-ministro ser alvo de outras denúncias.
Distanciamento. Geddel, ao lado de Temer, fazia parte do núcleo duro do PMDB, que inclui os atuais ministros e também denunciados Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral). O Planalto avalia que Geddel é temperamental e emotivo e, por isso, não aguentaria muito tempo na prisão. Essas características, disse um auxiliar, podem aumentar ainda mais as chances de o ex-ministro fornecer informações em troca de benefícios. 
Apesar disso, o discurso no governo é de que, se Geddel fechar acordo de colaboração premiada, não haverá nada de comprometedor contra o presidente. Ainda assim, a ordem no Planalto tem sido se distanciar ao máximo do ex-ministro. Desde que foram descobertos os R$ 51 milhões, os principais interlocutores do presidente evitam o assunto ou, quando abordados, dizem que ele não tem relação com o Palácio do Planalto.
Procurada, a defesa de Geddel não havia se manifestado até a conclusão desta edição.

Envolvidos da Lava Jato tramam se esconder em Portugal


“The Guardian”: investigados na Lava Jato compram imóveis em Portugal para obter visto permanente

Jornal do Brasil
Reportagem publicada nesta segunda-feira (18) pelo jornal inglês The Guardian afirma que executivos brasileiros envolvidos em escândalos de corrupção estariam comprando imóveis em Portugal para obter vistos permanentes de moradia no país. Entre os executivos citados estão Otávio Azevedo e Sérgio Andrade, da Andrade Gutierrez, Pedro Novis, ex-presidente da Odebrecht, e Carlos Pires Oliveira Dias, vice-presidente do conselho da Camargo Correa. De acordo com The Guardian, eles teriam comprado imóveis em Portugal em 2014, após o início da Operação Lava Jato.
A reportagem explica que o programa de vistos permanentes de Portugal permite a troca do visto de residência pela compra imóveis em Portugal avaliados em pelo menos € 500 mil. Após cinco anos, o visto pode ser convertido em cidadania portuguesa, que dá o direito de moradia e trabalho em qualquer país da União Europeia.
The Guardian afirma que Otávio Azevedo - condenado a 18 anos de prisão domiciliar - teria comprado um imóvel em Lisboa dois anos antes de ser preso, e solicitado visto permanente. O imóvel seria avaliado €1,4 milhão.
Ainda segundo a reportagem, Sérgio Andrade teria comprado um imóvel em Portugal por € 665 mil, em 2014. Já Pedro Novis teria adquirido um imóvel em Lisboa avaliado em €1,7 milhão, enquanto Carlos Oliveira teria investido €1,5 milhão em Portugal, dentro do programa de residência no país.
Segundo o jornal, um porta-voz de Otávio Azevedo afirmou que o executivo ainda não foi informado sobre o resultado de seu pedido de visto de residência e que o imóvel foi comprado de acordo com a legislação portuguesa. Já a assessoria de Sérgio Andrade alegou que ele não vive no país e nem tem planos para tal. A assessoria de Pedro Novis disse que suas atividades em Portugal são conhecidas pela Justiça brasileira. Carlos Oliveira confirmou que obteve visto de residência em Portugal.
Por sua vez o governo de Portugal afirmou, em nota, que o programa segue todos os procedimentos legais e de segurança e que todos os pedidos passam por um processo que inclui consulta a registros criminais em bases de dados nacionais e internacionais.
Jornal do Brasil já vinha alertando, em diversos editoriais publicados desde 2015, sobre o risco da fuga de acusados na Lava Jato para Portugal.

Líder do governo fazia feira com dinheiro da prefeitura




Pela segunda vez em menos de dois meses, o líder do governo do presidente Michel Temer no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), foi condenado pela Justiça a ressarcir os cofres públicos em razão de desvios da prefeitura de Pirambu (SE), no período em que o grupo político do parlamentar comandou o Executivo local. Desta vez, em sentença assinada na noite desta segunda-feira, o juiz Rinaldo Salvino do Nascimento condenou Moura e mais quatro pessoas — entre elas a mulher e uma irmã —por usar o dinheiro da prefeitura para fazer "feiras de mercadinho" em benefício próprio.
O grupo terá de devolver pelo menos R$ 30,4 mil aos cofres da prefeitura, valor gasto em mercadinhos e numa peixaria de forma indevida, como consta na ação de improbidade administrativa. O restante do dano deve ser calculado na fase de execução da sentença. Eles também têm de pagar multa. O juiz titular da Comarca de Japaratuba suspendeu por oito anos os direitos políticos do cinco envolvidos. Eles podem recorrer da decisão no Tribunal de Justiça de Sergipe.
O dinheiro da prefeitura foi usado para comprar comida e bebida alcoólica, segundo as investigações que resultaram na decisão judicial. Moura foi prefeito de Pirambu entre 1997 e 2004. Depois, continuou ditando as regras na prefeitura, conforme a sentença. A "hegemonia política" durou até 2007.
As compras feitas "abasteciam" as casas de Moura e seu sucessor na prefeitura, segundo a sentença. As aquisições eram maquiadas com a emissão de "notas fiscais nas quais eram lançadas mercadorias diversas das realmente adquiridas, e que correspondiam aos itens licitados ou compreendidos no contrato administrativo", escreveu o juiz na decisão.

Candidatura de Meirelles: aliados divididos



A decisão do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) de vestir o figurino de pré-candidato ao Planalto dividiu opiniões.
Aliados dizem que, por mostrar que pretende faturar nas urnas os louros da melhora da economia, ele pode se tornar alvo de retaliação política e prejudicar a aprovação de medidas.
Os maiores entusiastas da nova faceta de Meirelles estão no mercado financeiro.
Ele tem sido estimulado por agentes com o discurso de que é bom ter um nome com perfil técnico posicionado na corrida eleitoral. (Painel – FSP)

Dodge e a corrupção: "O recado precisava estar claro"




Presente à posse da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou a EXPRESSO que, ao cumprimentá-la pelo discurso, quando citou cinco vezes o combate à corrupção e afirmou que ninguém está acima da lei, a nova chefe do Ministério Público lhe disse:
"O recado precisava estar claro".
"Eu disse a ela que, se havia alguma dúvida sobre como será sua atuação à frente da PGR, acho que foi dirimida", disse Randolfe.
Participaram da posse o presidente Michel Temer, denunciado pela PGR pela segunda vez na semana passada, e os presidentes do Senado, Eunício Oliveira, e da Câmara, Rodrigo Maia, ambos investigados pelo Ministério Público Federal.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

PT aprova abertura de processo para expulsar Palocci



Do G1
O diretório do PT em Ribeirão Preto (SP) aprovou, hoje, a abertura de um processo que pode resultar na expulsão do ex-ministro Antônio Palocci da legenda.
Um dos acusados de formar uma organização criminosa com a cúpula do partido em Brasília (DF) pela Procuradoria-Geral de Justiça na Operação Lava Jato, ele será alvo de uma comissão de ética pelas declarações feitas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro.
No último dia 6, ele disse que Lula mantinha um “pacto de sangue” com o empresário Emílio Odebrecht, o que incluía um pacote de R$ 300 milhões em propinas para o PT, além de agrados ao ex-presidente.
O parecer final do conselho de ética deve sair em até dois meses, estima o presidente local do PT, Fernando Tremura. “Ele está tentando salvar a pele dele, mas em contrapartida ameaça o nosso projeto. Temos essas declarações como inverídicas”, diz.
Palocci fez toda sua trajetória política filiado ao diretório de Ribeirão Preto, onde nasceu. Inscrito na legenda pelo município paulista desde a fundação, em 1981, ele foi vereador, deputado estadual, prefeito por duas vezes e deputado federal, antes de assumir o Ministério da Fazenda no governo Lula e da Casa Civil, no primeiro escalão de Dilma Rousseff.
Processo de desfiliação
O processo administrativo do PT foi aprovado nesta segunda-feira por unanimidade entre os 9 membros votantes da Executiva local na reunião, que contou com representantes locais e regionais da sigla.
Palocci responderá à comissão formada por seis integrantes, que deve avaliar em até dois meses a expulsão ou não do ex-ministro.
Nesse período, ele também terá a chance de apresentar sua defesa, mesmo que à distância, afirma Tremura. “A comissão é autônoma, ela que vai decidir se vai ser por uma carta precatória ou correspondência. Depende como é o procedimento na Polícia Federal”.
O parecer final deve, então, ser submetido a votação na Executiva local do PT.

Procurador afirma que Janot tinha pressa em derrubar Temer


Procurador afirma que Janot tinha pressa em derrubar Temer


O procurador da República Ângelo Goulart Villela, afirmou que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot realizou o acordo de colaboração premiada com a JBS tendo como objetivo derrubar o presidente Michel Temer e impedir a nomeação da sucessora dele na procuradoria-geral da República Raquel Dodge. Goulart contou que esteve presente durante uma conversa em que Janot afirmou: "A minha caneta não pode fazer meu sucessor, mas tem tinta o suficiente para que eu consiga vetar um nome". Ângelo Goulart disse ainda que Janot "tinha pressa e precisava derrubar o presidente".

Justiça suspende destruição de provas da Castelo de Areia após delação de Palocci

Justiça suspende destruição de provas da Castelo de Areia após

Justiça suspende destruição de provas da Castelo de Areia após delação de Palocci

Foto: Agência Brasil
A Justiça Federal suspendeu a destruição das provas da Operação Castelo de Areia, deflagrada em 2009. Segundo informações da Folha de S. Paulo, a decisão foi tomada após o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci afirmar em delação premiada que o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Cesar Asfor Rocha, recebeu propina da Camargo Corrêa para barrar as investigações. A destruição das provas da Castelo de Areia foi determinada a pedido da defesa de três ex-executivos da construtora. Os advogados argumentaram que as provas já haviam sido anuladas pelo STJ. A operação levou à abertura de mais de 50 investigações em diferentes estados. A suspensão da decisão foi determinada pelo juiz federal Diego Paes Moreira, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Ainda segundo informações da Folha de S. Paulo, ele entende que o Ministério Público Federal (MPF) pode reverter as medidas que interromperam a Castelo de Areia e retomar as investigações de supostos pagamentos de propina.

Flagrante: Poste despenca na Avenida Luís Inácio Lula da Silva e por pouco não provoca acidente.





Leitores do Blog Geraldo José flagraram agora a pouco, por volta das 17h30, a queda de um poste de energia elétria na Avenida Luís Inácio Lula da Silva, em Juazeiro (BA).
O poste, localizado na avenida entre os bairros Novo Encontro, Centenário e Maria Gorete, no canteiro sobre o Canal, despencou e por pouco não provocou danos maiores.
Populares informaram que a maioria dos postes naquela artéria está enferrujado, o que pode ocasionar outros acidentes. (Fonte:  Geraldo  José)

Wagner é opção de 5% do eleitorado para substituir Lula em eleições, aponta pesquisa


Wagner é opção de 5% do eleitorado para substituir Lula em eleições, aponta pesquisa


O ex-governador da Bahia e ex-ministro Jaques Wagner (PT) é opção de 5% do eleitorado para substituir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para as eleições presidenciais do próximo ano. Quem lidera o ranking do Instituto Paraná Pesquisas é o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), com 15,7% da preferência. O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, aparece em seguida, com 10,7%. Apesar das preferências, a maior parte dos entrevistados, 62,8%, descarta as três opções apresentadas. Pouco menos de 6% não sabe ou não opinou. Quando os resultados são analisados por região, Ciro continua à frente no Norte e Centro-Oeste, Nordeste e Sul - perde no Sudeste para Haddad. Wagner ganha um pouco mais de expressão apenas no Nordeste, assumindo a segunda colocação com 14,5% das intenções de voto. Foram entrevistadas 2.210 pessoas no questionário online do Instituto Paraná Pesquisas, entre 12 e 14 de setembro deste ano. A amostra tem confiança de 95% e margem de erro de aproximadamente 2%. Na análise por localidade, o grau de confiança se mantém, mas a margem de erro sobe para 3% na região sudeste, 4% para o Nordeste, 5,5% para as regiões Norte e Centro-Oeste e Sul.

Temer embarca para Nova York e participa de jantar oferecido por Trump


Temer embarca para Nova York e participa de jantar oferecido por Trump

Foto: Beto Barata/ Presidência da República
Após a posse da nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o presidente Michel Temer embarcou na manhã desta segunda-feira (18) para Nova York, para comparecer à 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas. Às 18h30, ele irá a um jantar oferecido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Nesta terça-feira (19), Temer fará o discurso de abertura da assembleia da ONU, que tradicionalmente cabe ao presidente do Brasil. Durante a viagem, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumirá a Presidência da República em exercício. O peemedebista e sua comitiva deixam os EUA na quarta-feira (20). É a segunda participação de Temer na assembleia da ONU como presidente do Brasil; a primeira foi em setembro do ano passado.

Cunha recebeu R$ 57 milhões de Funaro após Lava-Jato



Valor Econômico
Relatório da Polícia Federal aponta que o corretor de valores e delator Lúcio Funaro, preso em Brasília, pagou ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) R$ 56,9 milhões mesmo depois de a Lava-Jato ter sido deflagrada, em março de 2014.
O valor corresponde ao que foi registrado em planilhas apreendidas na casa da irmã do corretor. "Não podemos afirmar que as mesmas correspondem ao total das entregas de dinheiro efetuadas, mas apenas as localizadas até o presente momento", diz a PF no relatório de 184 páginas datado do último dia 4.
Do valor pago durante a Lava-Jato, R$ 1,3 milhão foram entregues por Funaro quando Cunha era o presidente da Câmara dos Deputados, em 2015.

Polícia divulga rostos de suspeitos de atirar em jornalista



A Polícia Civil de Pernambuco divulgou, na manhã de hoje, os retratos falados de dois suspeitos de atirar no jornalista Alexandre Farias. O fato aconteceu no último sábado, em Caruaru, no Agreste, e após troca de tiros da Polícia com os bandidos, o jornalista foi atingido por uma bala perdida na cabeça e segue internado em coma induzido no Hospital da Unimed.
De acordo com o chefe da Polícia Civil em Pernambuco, Joselito Amaral, cinco pessoas participaram da ação, sendo que dois foram reconhecidos por testemunhas.
"As investigações avançaram e hoje estamos apresentando dois retratos falados dos assaltantes que participaram da ação. Os crimes são tentativa de homicídio, no caso do jornalista Alexandre Farias. Eles tentaram atirar nos policiais a atingiram o jornalista. Os demais crimes são por roubo qualificado e lesão corporal grave. Testemunhas estão nos ajudando e ajudaram a fazer os retratos falados", disse.
Ainda de acordo com o chefe da Polícia Civil, os números 9.9488-7099 e 9.9488-7527 serão usados para ajudar a polícia com informações via WhatsApp. O delegado informou ainda que os dois suspeitos têm entre 18 e 35 anos e estavam encapuzados no momento da ação e ambos têm estatura mediana e mais três envolvidos, que não foram identificados, estão envolvidos no crime.
"A gente sabe que foi um caso lamentável. O governo não aceita os números que aí estão e a cidade de Caruaru é uma das que mais recebeu investimentos. No último trimestre tivemos a menor taxa de homicídios no estado de Pernambuco. Se compararmos aos três meses anteriores, a redução mostra a realidade de um plano de ação do governo para conter a violência", disse.
O chefe da Polícia Civil disse ainda que começa hoje em Caruaru mais uma etapa da Operação Força no Foco. "Temos as Polícias Militar e Civil, Bombeiros, Detran, todos juntos para garantir com a Força Foco melhorar a segurança aqui na cidade. Vamos hoje para mais uma etapa, mas não por causa desse fato. O dia de hoje já estava programado no cronograma de planejamento da SDS", disse.

Lixão no centro de Juazeiro volta a incomodar moradores



Moradores da Rua Quintino Bocaiuva, centro de Juazeiro, continuam preocupados com o lixão instalado no fundo do prédio onde funcionou o hospital SEMEC.  Os  moradores afirmaram que a prefeitura, juntamente com a justiça não tomaram ainda providências necessárias para conter o problema causado por uma pessoa desocupada.

O morador Zenilton do PT faz desabafo chamando a atenção das autoridades: “Caro amigo repórter, o descaso da Prefeitura com os moradores da Rua Quintino Bocaiuva continua. O lixão está incomodando, provocando mal cheiro e transformando o local em criadouro de animais peçonhentos, o risco de acidente de transporte e incêndio é iminente”, relatou.

Com a palavra a administração municipal. (Fonte:  Jornal  Ação  popular)

SOBRADINHO ESTAR CRESCENDO NA GESTÃO LUIZ VICENTE

A  cidade  de  Sobradinho,  conhecida  como  terra  da  barragem,  tem  prosperado na  gestão  Luiz Vicente  Berti. O  atual  gestor  vem  gerenciando  o  município  com austeridade,  realizando  vários  investimentos  com  recursos  do  próprio  município. Vecente  tem  demonstrado  capacidade  administrativa. hoje  Sobradinho  estar  incluída  entre  as  cidades  do  interior  da  Bahia  que  mais  prosperou. Funcionários,  prestadores e  fornecedores  recebem  os  seus  pagamentos  em  dia. A  gestão  de  Vicente  é  considerada íntegra,  perante  a  população  sobradinehense, é  uma  administração  que  honra  o  erário  público,  por  isso  é  respeitada  pela  sociedade de  Sobradinho.

Sarney visita Temer neste domingo para discutir política diante de 2ª denúncia da PGR


Sarney visita Temer neste domingo para discutir política diante de 2ª denúncia da PGR


O ex-presidente José Sarney foi recebido pelo presidente Michel Temer neste domingo (17), no Palácio do Jaburu, para discutir o cenário político em meio à segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra a cúpula do PMDB. De acordo com o blog da Andréia Sadi, no G1, a conversa ocorreu depois de Temer se reunir com aliados e advogados nos últimos dois dias. A discussão é sobre a estratégia jurídica a ser adotada nesta denúncia, que envolve os crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa. Segundo a publicação, Temer se aconselha com Sarney desde que assumiu a Presidência e passou a enfrentar graves crises políticas. No mês passado, Sarney esteve com Temer para discutir cargos de indicação política no setor de energia, já que peemedebistas do Senado se queixaram da possível perda de espaço com o plano de privatizações. A assessoria do Palácio do Planalto confirmou o encontro com Sarney, mas considerou como uma "visita de cortesia" e "pediu para o presidente levar um abaraço ao seu amigo, o secretário-geral da ONU, António Guterres - com quem Temer se encontrará na Assembleia Geral em Nova York.