Chico Ferreira

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

EMSAE – EMPRESA MUNICIPAL DE SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO



A EMSAE – EMPRESA MUNICIPAL DE SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO de Sobradinho tem como missão institucional captar, tratar e distribuir água de qualidade para a população de Sobradinho, eisto tem feito com muito bom êxito e naturalidade, inclusive com reconhecimento de Universidades da região pela boa qualidade da água.
O Diretor da EMSAE, Alexandre, esclareceu que o abastecimento de água na sede do município foi interrompido apenas no dia 17/11 no período de 15:00hs às 20hs por consequência da chuva que atingiu toda região e em Sobradinho ocasionou transtorno na rede elétrica que paralisou o sistema de bomba que abastece o município, fato esse esporádico que deve ter acontecido em muitas cidades no Brasil a fora. Outrossim, pode acontecer em eventos pontuais de manutenção da rede geral.
Segundo o Diretor, é realidade que estamos vivenciando a maior crise hídrica da história mundial, nosso São Francisco nunca teve tão fragilizado, e a consciência do racionamento, do cuidado e do zelo é um dever ético, cívico e humano; não cabe mais atitude pontual, circunstância e momentânea, temos sim de ter como o princípio o cuidado do rio e da água permanentemente.
Estamos desde o início do ano acompanhando juntamente com a CHESF a vazão e o volume do rio, que nesse período reduz muito tanto a vazão quanto o volume de água no lago, como é do conhecimento da população. Realizamos inúmeras ações através da Prefeitura no sentido de otimização dos recursos hídricos: parcerias com a CERB, CODEVASF para ampliar a rede de água que atenda no interior, revitalizamos o espaço e o ponto de captação da água no rio, renovamos toda encanação do canal que possibilita o acesso de água para diversas comunidades, realizamos manutenção periódica na rede geral retirando entulho e corrigindo desvios, estamos utilizando os meios de comunicação através do rádio e carro de som com o objetivo de comunicar  a  população  os  investimentos  que  a  EMSAE  está  realizando com a  finalidade  de  prestar  um  melhor  serviço à  nossa  população.

‘Vale da Sorte’ suspende atividades até segunda ordem em Petrolina e na região




O empresário Roberval Machado, um dos proprietários da empresa ‘Vale da Sorte’, que promove sorteios em Petrolina todos os finais de semana, usando o seu bom senso e mesmo sem receber nenhuma intimação da justiça, resolveu acatar a  orientação da Juiza da 4a. Vara da Promotoria Federal em Pernambuco e estar  suspendendo  as atividades do Vale da Sorte, até segunda ordem, quando alguns esclarecimentos deverão ser feitos em relacão ao funcionamento deste tipo de atividade em todo o Brasil.
Muito seguro em sua fala e bastante confiante, Roberval isentou a Vale da Sorte de qualquer desconforto em relação as acusações que foram feitas a outras empresas que tambem prestam o mesmo serviço em outros estados.
Em quase 11 anos e meio em Petrolina o ‘Vale da Sorte’ tem sido parceira de várias entidades filantropicas e sempre esteve solidária a vários movimentos sociais de Petrolina,  Juazeiro e região.
O retorno do Vale da Sorte as suas atividades normais vai depender de novas regras e orientaçoes  que poderão  ser determinadas por quem de  direito para esta atividade de sorteio.
A suspensão temporária dos sorteios do Vale da Sorte, deixa desamparado muita gente que direta ou inderetamente dependem deste tipo de atividade para sobreviver. Caso dos vendedores ambulantes e outros.

SOBRADINHO: MAIS UMA VEZ NÃO HOUVE QUÓRUM PARA JULGAR AS CONTAS DO EX-PREFEITO GENILSON SILVA

A  sessão extraordinária que  estava  marcada  para esta segunda-feira (24) para  julgar  as  contas  do  ex-prefeito  Genilson  Silva,  houve  quórum  foi  transferida  para  próxima  sexta-feira (28).   A  expectativa  foi  grande  por  parte  da  população  de  Sobradinho  que  ficou  frustrada  novamente. Espera-se  que  na  próxima  sexta  aconteça  o  julgamento.

Dilma acabou fazendo o que criticou antes, diz Marina





A ex-senadora e ex-ministra Marina Silva afirmou neste domingo (23) que o governo iria 'acabar fazendo' muitas medidas econômicas que foram criticadas pela presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral. Ela participou de encontro da Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, em Brasília.
Segundo Marina, a campanha de Dilma se utilizou do 'marketing selvagem' para ganhar as eleições mas acabou recuando em pontos que antes eram criticados, como o aumento da taxa de juros e a redução da meta fiscal para o ano de 2014. A previsão do governo para o ano de 2014 era atingir o superávit primário de R$ 80,8 bilhões. Entretanto, enviou um projeto de lei ao Legislativo abandonando completamente a meta. Pela proposta, as contas do governo poderão registrar até mesmo déficir neste ano.
'Uma coisa foi o marketing selvagem praticado [por Dilma] para ganhar as eleições. Outra coisa agora é o confronto com a realidade', criticou. 'A tipificação que eu coloquei desde o início é de que muitas medidas que a presidente criticou, ela ia acabar fazendo'.

domingo, 23 de novembro de 2014

SOBRADINHO: OLIVAR ACREDITA NA SUA ELEIÇÃO PARA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA

O  vereador   Olivar  acredita   na  sua   eleição  para  presidência  da  câmara municipal de  Sobradinho confia no voto  de confiança  da sua  bancada. O     parlamentar  governista  tem  quatro mandatos  e  uma  vasta  experiência,  com  preparo  suficiente  para  administrar a  casa  do  povo.

Mistério da Pesca é suspeito de fraudar licenças


As novas carteiras de pescador estão sendo impressas e papel comum e a marca d’água – que antes existia na impressão em papel moeda – facilita a fraude no documento

 / Divulgação

Divulgação

Um mês antes do início da campanha eleitoral, o Ministério da Pesca alterou norma interna e permitiu que carteiras de pescador antes confeccionadas pela Casa da Moeda, fossem emitidas em papel comum. A medida permitiu que, desde junho, as próprias superintendências da pasta nos Estados, a maioria controlada pelo PRB, confeccionassem os documentos, que dão direito a salário durante os cinco meses do defeso e outros benefícios.
As carteiras impressas em papel moeda tinham uma marca d’água para evitar fraudes – uma proteção que as confeccionadas em papel comum não dispõem. O PRB, ligado à Igreja Universal, comanda a pasta desde março de 2012, quando o senador Marcelo Crivella (RJ) foi nomeado ministro. Ele deixou o cargo para disputar o governo do Rio. O ministério é chefiado hoje pelo pastor Eduardo Lopes, também do PRB e suplente de Crivella. A sigla trabalha para manter a pasta no próximo mandato de Dilma Rousseff. Das 27 superintendências, 17 estão sob a chefia de filiados e dirigentes do partido.
No Acre, a Polícia Federal e o Ministério Público investigam denúncia de que houve um derrame de carteiras no período eleitoral para pessoas que não praticam a atividade pesqueira. A distribuição teria beneficiado Juliana Rodrigues de Oliveira e Alan Rick, respectivamente eleitos deputados estadual e federal pelo PRB. Até março, doutora Juliana, como é conhecida, foi superintendente estadual do ministério. Ela já havia, sem sucesso, disputado uma eleição, antes de ocupar o cargo.
A Polícia Federal já tomou depoimento de eleitores que receberam as carteiras cinco dias antes das eleições – parte deles assentados da reforma agrária. Eles disseram ter vendido o voto em troca do benefício. A investigação está sob sigilo. O registro do pescador é como um “cheque pré-datado”.
O seguro-defeso, que garante salário no período em que a pesca é proibida, só pode ser recebido um ano após a emissão da carteira. Há exigências como comprovação por meio de relatório da atividade pesqueira. O documento dá direito a linhas de crédito bancário e aposentadoria especial.
Dados do ministério mostram que, no Acre e no Maranhão, o número de carteiras emitidas no período eleitoral supera o dos demais meses. De agosto a outubro, foram confeccionadas 30.177 carteiras no Maranhão, mais que as 22.581 dos sete meses anteriores do ano.
A Polícia Federal tem 14 inquéritos abertos no Estado para apurar irregularidades no pagamento do seguro-defeso ou na distribuição de carteiras. O Ministério Público informou que tramita um recurso no Tribunal Regional Eleitoral relacionado à distribuição das carteiras, também sob sigilo.
O número de pescadores artesanais registrados no País hoje é de 1.005.888. Dados do Ministério do Trabalho mostram que, de abril a setembro o número de requerentes do seguro da pesca chegou a 281 mil – foram 198 mil no mesmo período de 2013. A pasta não informou quais Estados tiveram maior crescimento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Todos os homens da Presidente



 







O 2º mandato não começou, mas os líderes aliados já desenham o núcleo de poder de Dilma.
 Estão nesse time os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário) e o governador Jaques Wagner, que ainda não tem pasta definida.
É com esses petistas, além do ex-presidente Lula, que Dilma debate os rumos e os dramas a serem superados nos próximos 4 anos. (O Globo - Ilimar Franco)

Economia: para ajustar terá de matar um leão por dia



 Joaquim Levy e a nova equipe econômica terão, ninguém duvida, muito trabalho pela frente para mudar o humor dos empresários.
Um exemplo: de acordo com uma pesquisa feita pela seguradora Zurich e pela GfK com 3 800 pequenas e médias empresas de dezenove países, os brasileiros são os mais pessimistas em relação ao crescimento dos negócios em 2015.
Do total de 200 altos executivos brasileiros entrevistados, 27% “não esperam nenhuma oportunidade para suas empresas”. A média mundial é 18%.(Lauro Jardim - Veja Online)

Justiça manda abrir as contas das empresas do doleiro Alberto Youssef




Quebra de sigilo, que já atingiu outros períodos, agora pega ano eleitoral;autoridades suspeitam que doações de campanha podem ser lavagem de dinheiro desviado da Petrobrás pelas empresas


Após colocar na prisão os executivos das maiores empreiteiras do País, o juiz da Lava Jato autorizou a extensão da quebra do sigilo bancário das empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef para o ano de 2014. Com a medida, pela primeira vez a operação vai conseguir identificar o que foi movimentado nas empresas utilizadas pelo doleiro para lavar dinheiro do esquema criminoso que envolvia pagamento de propinas a agentes públicos, políticos e executivos durante o período eleitoral.
Foi autorizada a extensão das quebras dos sigilos da GFD Investimentos, RCI software, Empreiteira Rigidez e MO Consultoria. A medida atende à solicitação do Ministério Público Federal que, junto com a Polícia Federal, suspeita que as doações das grandes empreiteiras para campanhas eleitorais deste ano sejam, em parte, lavagem de dinheiro desviado dos contratos da Petrobrás.
Além dos valores movimentados pelas empresas de fachada do doleiro, que receberam dinheiro de empreiteiras envolvidas em ao menos 9 obras da Petrobrás, segundo as investigações, a extensão da quebra do sigilo, que abarca de 1 de janeiro até 14 de novembro deste ano, vai alcançar o período eleitoral no qual as campanhas da situação e da oposição receberam vultuosos repasses das mesmas empresas investigadas pela Lava Jato. Além da Petrobrás, Youssef tinha negócios envolvendo concessões públicas e obras em todo o País. Em sua residência, a Polícia Federal apreendeu uma lista com 750 contratos públicos que o doleiro teria intermediado junto a grandes empreiteiras, de 2009 a 2012.
Até o momento, as investigações destrincharam as movimentações bancárias das empresas de fachada de Youssef entre 2009 e 2013, período no qual, por exemplo, elas receberam ao menos R$ 37 milhões somente das empresas do Grupo Sanko, que fornecem material para as obras de Abreu e Lima tocadas pelo Consórcio CNCC, liderado pela Camargo Corrêa. Além disso, em outubro a PF já havia intimado as empreiteiras citadas na Lava Jato a explicar repasses que somavam R$ 31,5 milhões, a duas empresas do doleiro.
Para o juiz, os dados até agora comprovam o articulado esquema montado na estatal. “Em síntese, e em cognição sumária, há prova de que as empreiteiras, em cartel, frustraram licitações da Petrobrás, manipularam o preço dos contratos, lavaram o produto do crime por intermédio de Alberto Youssef, e pagaram vantagem indevida a agentes públicos, como Paulo Roberto Costa, ex-Diretor de Abastecimento da Petrobrás”, assinala Moro na decisão.

Márcio, o múltiplo


 Um grande advogado, sem dúvida; Márcio Thomaz Bastos teve a coragem de defender pessoas demonizadas por boa parte do público e de oferecer-lhes o melhor de seu talento (bem pago - mas um grande advogado, como um grande administrador, como um grande astro, merece o que ganha). E teve a coragem, na ditadura, de dirigir a seção paulista da OAB, que se opunha ao presidente da República, general Figueiredo; de participar ativamente do Movimento Diretas-Já; de ser um dos redatores, em nome da OAB nacional, do pedido de impeachment do presidente Collor.
Foi um dos fundadores do Instituto de Defesa do Direito de Defesa, que combate excessos dos acusadores e procura garantir aos réus aquilo que é previsto em lei. Numa crise que poderia ter-se agravado, conseguiu evitar que Lula expulsasse do país o jornalista americano Larry Rohter, do The New York Times, por ter dito qual o tipo de líquido o presidente preferia consumir. (Carlos Brickmann)

SOBRADINHO: AS CONTAS DO EX-PREFEITO GENILSON SILVA SERÃO JULGADAS NESTA SEGUNDA (24)

As  contas  do  ex-prefeito  Genilson  Silva  serão julgadas  nesta  segunda-feira (24) às  10h  da  manhã, em sessão  extraordinária. Por  duas  vezes  consecutivas  as  referidas  contas  foram  colocadas   em  pauta para  julgamento  e  não  houve  quórum. A  expectativa  é  grande   por  parte  da  população  Sobradinhense. Se  as  contas  forem  aprovadas o   ex-prefeito  fica  apto  para  concorrer  qualquer  cargo  eletivo,  inclusive  pode  até  disputar  as  próximas  eleições  para  prefeito  em  2016,  e  se  forem  reprovadas  ficará  inelegível  por  oito  anos.

Ministro suspende autorização de Dirceu para viajar de Brasília a SP


Luís Roberto Barroso, do STF, revogou decisão de juiz do Distrito Federal.
Dirceu, condenado no mensalão, cumpre prisão no regime aberto.


O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, revogou, em despacho deste sábado (22), decisão da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal que havia permitido o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu a viajar de Brasília a São Paulo. A autorização havia sido concedida pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal. Dirceu, condenado no julgamento do mensalão, cumpre prisão em regime aberto na capital federal. Ele deve retornar a Brasília assim que for notificado do despacho.

Na decisão, Barroso, que é responsável pelo processo no STF, argumenta que não foi comunicado formalmente pela Vara sobre a autorização para a viagem. Ele ainda pede informações sobre o pedido de Dirceu e suspende a permissão até que possa fazer uma análise sobre a solicitação do ex-ministro.
"Solicitem-se ao Juízo da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas do Distrito Federal (VEPEMA), com a máxima urgência, informações acerca do pedido, da manifestação do Ministério Público e dos fundamentos da decisão, que deverá ficar suspensa até ulterior deliberação deste relator ou do Supremo Tribunal Federal", escreve Barroso na decisão.
O ministro também cita, em seu texto, que a autorização foi concedida pela Vara apesar de parecer desfavorável do Ministério Público, que havia entendido que Dirceu não poderia fazer a viagem.
saiba mais
A decisão da Vara que autorizou a viagem foi assinada pelo juiz Nelson Ferreira Júnior. Ele argumenta, no texto, que a defesa de Dirceu solicitou a viagem para que o ex-ministro provasse que tem um trabalho e para cuidar de assuntos administrativos de sua empresa, que fica em São Paulo.
"Tenho como suficientemente motivado e justificado o pedido de viagem do Apenado, por ser de conhecimento público o seu desligamento do anterior emprego, mostrando-se necessária a sua ida a São Paulo para tratar de assuntos administrativos da empresa por ele constituída, ou seja, trata-se de viagem a trabalho", escreveu o juiz.
Dirceu também pediu à Vara para passar as festas de Fim de Ano na cidade mineira de Passa Quatro, onde moram sua mãe e familiares. O juiz, no entanto, ainda não emitiu decisão sobre esse pedido.
Regime aberto
Dirceu foi condenado no processo do mensalão a sete anos e 11 meses pelo crime de corrupçao ativa. Ele foi preso em 15 de novembro de 2013. em 4 de novembro de 2014 foi liberado para cumprir o regime aberto, em que deve passar a noite em casa. Nos meses anteriores, ele estava no semiaberto, em que trabalhava durante o dia fora da cadeia e dormia na prisão.

Bahia, com derrota, já pode ser rebaixado no fim desta 36ª rodada



Bahia, com derrota, já pode ser rebaixado no fim desta 36ª rodada


Matematicamente, após a derrota para o Atlético Paranaense na noite deste sábado (22), na Arena Fonte Nova, o Bahia ainda não está rebaixado para segunda divisão do futebol brasileiro. Porém, neste domingo (23), a queda pode ser oficialmente confirmada. Com 34 pontos, quatro a menos e um jogo a mais que os primeiros times fora da zona do rebaixamento, o Bahia pode ser rebaixado para segunda divisão no final destA rodada, na noite deste domingo (23). Para que o Bahia volte para segunda divisão, após quatro anos na elite, a Chapecoense precisa derrotar o Botafogo na Arena Condá, em Santa Catarina, além do Vitória vencer o Figueirense, fora de casa, no Estádio Orlando Scarpelli. Apesar da proximidade na classificação, o jogo entre Coritiba e Palmeiras não interfere no futuro do Bahia.

sábado, 22 de novembro de 2014

SEMPRE AVANÇAR




Desde muito tempo,
Que vivo nos caminhos.
A percorrer os destinos,
Que me faz aventurar.
Conhecer muitos destinos,
Sem nenhum lugar parar.


O tempo passa muito depressa,
Não podemos esperar ele passar.
A cada momento que passa,
É mais um dia pra nossa vida terminar.
Temos que aproveitar o máximo de tempo.
Para ele o vazio sempre preencher.


Uma vida é muito curta,
Não podemos deixar o tempo,
Sempre passar no vazio.
Temos que aproveitar o tempo bastante,
E ter poucas horas pra descansar.
Para o máximo de tempo aproveitar.



Zerc Viceniti

Morre poeta e personagem cearense Seu Lunga

Joaquim dos Santos Rodrigues, conhecido como "Seu Lunga", morreu às 9h30 da manhã deste sábado, 22, na cidade de Barbalha, no Interior do Ceará. Seu Lunga foi internado na última quarta-feira, 19, por complicações no sistema digestivo. O quadro piorou na sexta-feira, levando ao falecimento do poeta. Seu Lunga tinha 87 anos e estava internado no Hospital São Vicente de Paulo, em Barbalha, onde tratava de um câncer de esôfago.
De acordo com Demontier Tenório, primo em segundo grau do sucateiro, há cerca de seis meses ele foi submetido a uma cirurgia no esôfago, mas se recuperava bem. A missa de corpo presente deverá acontecer às 15h deste sábado, na Capela do Socorro, no Juazeiro do Norte. A sepultação deve acontecer no Cemitério do Socorro.
Seu Lunga era um poeta, vendedor de sucata e repentista do Juazeiro do Norte, que ganhou notoriedade pelo seu temperamento forte, tornando-se um personagem do folclore nordestino. Seu apelido veio de uma vizinha que lhe chamava de Calunga, devido a sua loja. Com os passar dos anos ficou apenas Lunga.
Biografia
Nascido em 18 de agosto de 1927 no município de Caririaçu, Joaquim dos Santos Rodrigues passou a infância com os pais e sete irmãos no município de Assaré. Voltou a Juazeiro do Norte aos 20 anos, em 1947, onde casou-se e teve 13 filhos - três homens e 10 mulheres. Em entrevista ao Jornal O POVO, em novembro de 2009, seu Lunga, como é conhecido desde “menino novo”, fez questão de negar a autoria das piadas grosseiras atribuídas a ele. Os cordelistas eram o principal alvo da mágoa de seu Lunga. “Eles ficam falando da minha pessoa, dizendo o que eu não sou”, lamenta. Durante a conversa com a reportagem, seu Joaquim falou sobre sua devoção a Padre Cícero, distribuiu sorrisos e até recitou poesias. “Nenhuma dessas histórias (contadas nos cordéis) é verdade. É tudo inventado”, se queixou seu Lunga, na época.
Indenização
 Em 2011, a Justiça acatou uma ação movida por Seu Lunga, proibindo um cordelista do Juazeiro do Norte, Abraão Bezerra Batista, de utilizar a expressão "seu Lunga" em suas publicações. O descumprimento da determinação  implicaria no pagamento de uma multa diária de R$ 1.000. O cordelista, na ocasião, havia escrito dois volumes intitulados ''As Histórias de seu Lunga, o Homem mais Zangado do Mundo''.  Joaquim Santos Rodrigues entrou com o pedido de liminar na Justiça por considerar que os cordéis publicados por Abraão contribuíram para consolidar a imagem negativa de “grosseirão dotado de incomum rudez”, conforme os autos do processo.
 Piadas atribuídas a seu Lunga
- Seu Lunga estava em sua casa, com sede. E manda seu sobrinho lhe trazer um pouco de leite. Daí o pobre do garoto pergunta: “No copo?” “Não. Bota no chão e vem empurrando com o rodo”.
- Seu Lunga estava no mercado com uma caixa de ovos. Daí perguntaram a ele: “Comprando ovos seu Lunga?” E ele responde: “Não, jogando um por um no chão. É traque de massa”. E joga os ovos no chão.
- Seu Lunga estava passeando na calçada com o cachorrinho. E lhe perguntam: “passeando com o cachorrinho, seu Lunga?” E Seu Lunga respondeu. “Não. É meu passarinho”, pegando o pobre poodle pela coleira e o fazendo voar.
- Seu Lunga vai saindo da farmácia, quando alguém pergunta: “Tá doente, seu Lunga”? E ele responde: “Quer dizer que se eu fosse saindo do cemitério eu tava morto?”
- O funcionário do banco veio avisar: “Seu Lunga, a promissória venceu”. E ele respondeu: “Meu filho, pra mim podia ter perdido ou empatado. Não torço por nenhuma promissória”.
- Um rapaz entrou em sua loja e disse: “Seu Lunga, tem pregos tamanho pequeno?”. E ele respondeu: “Tá aí no meio”, aponta para a caixa. E o rapaz procura, procura e não acha. Seu lunga resolve procurar e acha o prego tamanho pequeno. E o rapaz diz: “Obrigado”. E ele responde: “Nada disso. Agora você vai ter que procurar”, e devolve o prego à caixa.

PT está virado com a nova face do 2º governo Dilma



Quem faz o registro é Ilimar Franco, na sua coluna do Globo Online: 
 O PT está inconformado com a nova realidade do governo Dilma. Os petistas resistem à escolha de Levy para a Fazenda e, talvez por isso, o anúncio tenha sido adiado. Essa não é a atitude do PMDB, do vice Michel Temer, que já sabe que perderá o Ministério de Minas e Energia. O cargo irá para um nome da presidente. O parceiro só espera ser compensado com uma pasta de igual porte, como Cidades. Esse ministério está com o PP, mas perdê-lo já está nas suas contas. Sua direção já comunicou à presidente que joga na posição em que for escalado. Ontem, mesmo com a Operação Lava-Jato, um aliado de Aécio Neves, o PTB, deu sinais de que passará com tudo para o governo.
Os petistas avaliam que vão perder o segundo maior orçamento da Esplanada, o da Educação. Na bolsa de apostas, o governador Cid Gomes é o nome mais forte. O PROS tem 11 deputados. A presidente Dilma fez 76% dos votos no Ceará.
Os petistas querem tirar Aldo Rebelo do Esportes e impedir que Juca Ferreira vá para a Cultura. Os nomes do PT para suceder a Aldo são os deputados Edinho Silva (SP) e Vicente Cândido (SP). Dizem que a pasta é demais para uma sigla com 10 deputados e um senador. Quanto a Juca, o acusam de ter feito uma campanha personalista.

E-mails provam: Lula e Dilma podiam deter o propinoduto


O doleiro Alberto Youssef disse à Justiça que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Agora, mensagens encontradas pela PF em computadores do Planalto mostram que eles poderiam ter interrompido o propinoduto, mas, por ação ou omissão, impediram a investigação sobre os desvios


  

  (Dida Sampaio/Estadão Conteúdo e Cristiano Mariz/VEJA)
Antes de se revelar o pivô do petrolão, o maior escândalo de corrupção da história contemporânea brasileira, o engenheiro Paulo Roberto Costa era conhecido por uma característica marcante. Ele era controlador e centralizador compulsivo. À frente da diretoria de Abastecimento e Refino da Petrobras, nenhum negócio prosperava sem seu aval e supervisão direta. Como diz o ditado popular, ele parecia ser o dono dos bois, tamanha a dedicação. De certa forma, era o dono — ou, mais exatamente, um dos donos —, pois já se comprometeu a devolver aos cofres públicos 23 milhões de dólares dos não se sabe quantos milhões que enfiou no próprio bolso como o operador da rede de crimes que está sendo desvendada pela Operação Lava-Jato.
Foi com a atenção aguçada de quem cuida dos próprios interesses e dos seus sócios que, em 29 de setembro de 2009, Paulo Roberto Costa decidiu agir para impedir que secassem as principais fontes de dinheiro do esquema que ele comandava na Petrobras. Costa sentou-se diante de seu computador no 19º andar da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, abriu o programa de e-mail e pôs-se a compor uma mensagem que começava assim:
“Senhora ministra Dilma Vana Rousseff...”.
O que se segue não teria nenhum significado mais profundo caso fosse rotina um diretor da Petrobras se reportar à ministra-chefe da Casa Civil sobre assuntos da empresa. Não é rotina. Foi uma atitude inusitada. Uma ousadia. Paulo Roberto Costa tomou a liberdade de passar por cima de toda a hierarquia da Petrobras para advertir o Palácio do Planalto que, por ter encontrado irregularidades pelo terceiro ano consecutivo, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia recomendado ao Congresso a imediata paralisação de três grandes obras da estatal — a construção e a modernização das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná, e do terminal do Porto de Barra do Riacho, no Espírito Santo.
Assim, como quem não quer nada, mas querendo, Paulo Roberto Costa, na mensagem à senhora ministra Dilma Vana Rousseff, lembra que no ano de 2007 houve solução política para contornar as decisões do TCU e da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional. Continue lendo aqui.(Robson Bonin e Hugo Marques)

Veja ataca novamente, e Planalto reage: 'Vai fracassar'


:
A cada semana, a revista Veja, da Editora Abril, prcoura um novo mote para bater contra a presidente Dilma Rousseff. Depois de ser condenada a publicar um direito de resposta em pleno dia de votação, por tentar, segundo a Justiça, manipular a opinião pública, Veja atacou novamente, neste fim de semana.
A 'bomba' é um email de Paulo Roberto Costa para a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, em que o ex-diretor da Petrobras trata de restrições do Tribunal de Contas da União às obras da Refinaria Abreu e Lima. Na mensagem, Costa propõe que o tema passe pelo Congresso. Segundo Veja, naquele momento, Dilma poderia ter feito parar o chamado 'petrolão'.
Em nota, o Palácio do Planalto reagiu. 'Depois de tentar interferir no resultado das eleições presidenciais, numa operação condenada pela Justiça eleitoral, Veja tenta enganar seus leitores ao insinuar que, em 2009, já se sabia dos desvios praticados pelo senhor Paulo Roberto Costa, diretor da Petrobras demitido em março de 2012 pelo governo da presidenta Dilma', diz o texto. 'As práticas ilegais do senhor Paulo Roberto Costa só vieram a público em 2014, graças às investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.'
Leia, abaixo, a íntegra da nota do Palácio do Planalto:
NOTA À IMPRENSA
A reportagem de capa da revista Veja de hoje é mais um episódio de manipulação jornalística que marca a publicação nos últimos anos.
Depois de tentar interferir no resultado das eleições presidenciais, numa operação condenada pela Justiça eleitoral, Veja tenta enganar seus leitores ao insinuar que, em 2009, já se sabia dos desvios praticados pelo senhor Paulo Roberto Costa, diretor da Petrobras demitido em março de 2012 pelo governo da presidenta Dilma.
As práticas ilegais do senhor Paulo Roberto Costa só vieram a público em 2014, graças às investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.
Aos fatos:
Em 6 de novembro de 2014, Veja procurou a Secretaria de Imprensa da Presidência da República informando que iria publicar notícia, “baseada em provas factuais”, de que a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, recebeu mensagem eletrônica do senhor Paulo Roberto Costa, então diretor da Petrobras, sobre irregularidades detectadas em 2009 pelo Tribunal de Contas da União nas obras da refinaria Abreu e Lima. O repórter indagava que medidas e providências foram adotadas diante do acórdão do TCU. A revista não enviou cópia do e-mail.
No dia 7 de novembro, a Secretaria de Imprensa da Presidência da República encaminhou a seguinte nota para a revista:
Em 2009, a Casa Civil era responsável pela coordenação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Assim, relatórios e acórdãos do TCU relativos às obras deste programa eram sistematicamente enviados pelo próprio tribunal para conhecimento da Casa Civil.
Após receber do Congresso Nacional (em agosto de 2009), do TCU (em 29 de setembro de 2009) e da Petrobras (em 29 de setembro de 2009), as informações sobre eventuais problemas nas obras da refinaria Abreu e Lima, a Casa Civil tomou as seguintes medidas:
a. Encaminhamento da matéria à Controladoria Geral da União, em setembro de 2009, para as providências cabíveis;
b. Determinação para que o grupo de acompanhamento do PAC procedesse ao exame do relatório, em conjunto com o Ministério de Minas e Energia e a Petrobras;
c. Participação em reunião de trabalho entre representantes do TCU, Comissão Mista de Orçamento, Petrobras e MME, após a inclusão da determinação de suspensão das obras da refinaria Abreu e Lima no Orçamento de 2010, aprovado pelo Congresso.
Nesta reunião, realizada em 20 de janeiro de 2010, “houve consenso sobre a viabilidade da regularização das pendências identificadas pelo TCU” nas obras da refinaria Abreu e Lima (conforme razões de veto de 26 de janeiro de 2009). Foi decidido, também, o acompanhamento da solução destas pendências, por meio de reuniões regulares entre o MME, o TCU e a Petrobras.
A partir daí, o Presidente da República decidiu pelo veto da proposta de paralisação da obra, com base nos seguintes elementos:
1) a avaliação de que as pendências levantados pelo TCU seriam regularizáveis;
2) as informações prestadas em nota técnica do MME que evidencia os prejuízos decorrentes da paralisação; e
3) o pedido formal de veto por parte do então Governador de Pernambuco, Eduardo Campos.
Este veto foi apreciado pelo Congresso Nacional, sendo mantido.
A partir de 2011, o Congresso Nacional, reconhecendo os avanços no trabalho conjunto entre MME, Petrobras e TCU, não incluiu as obras da refinaria Abreu e Lima no conjunto daquelas que deveriam ser paralisadas.
E a partir de 2013, tendo em vista as providências tomadas pela Petrobras, o TCU modificou o seu posicionamento sobre a necessidade de paralisação das obras da refinaria Abreu e Lima”.
A inconsistência da reportagem de Veja é evidente. As pendências apontadas pelo TCU nas obras da refinaria Abreu e Lima já haviam sido comunicadas, em agosto, à Casa Civil pelo Congresso e foram repassadas ao órgão competente, a CGU.
Como fica evidente na nota, representantes do TCU, Comissão Mista de Orçamento do Congresso, Petrobras e do Ministério de Minas e Energia discutiram a solução das pendências e, posteriormente, o Congresso Nacional concordou com o prosseguimento das obras na refinaria.
Mais uma vez, Veja desinforma seus leitores e tenta manipular a realidade dos fatos. Mais uma vez, irá fracassar.
SECRETARIA DE IMPRENSA
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA   (Do portal BR 247)

Humberto teve R$ 1 milhão do esquema, diz jornal

Humberto teve R$ 1 milhão do esquema, diz jornal  O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou em depoimento à Justiça que o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), recebeu R$ 1 milhão do esquema de fraudes envolvendo a estatal, informa a edição deste domingo (23) de 'O Estado de S. Paulo', que está nas bancas. Segundo o jornal, a citação foi feita em depoimento sigiloso que integra a delação premiada assinada pelo ex-diretor, por meio da qual ele espera ter sua pena reduzida.
O jornal afirma que, segundo Paulo Roberto, o dinheiro a Costa foi solicitado pelo empresário Mário Barbosa Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra).
Paulo Roberto teria dito que o dinheiro saiu da cota de 1% do PP. Segundo o jornal, o ex-diretor não soube informar como ocorreu o repasse do dinheiro, mas declarou que o empresário lhe confirmou o pagamento.
Procurado pela Folha, o líder do PT classificou de 'totalmente fantasiosa' a acusação de que teria recebido R$ 1 milhão do esquema.
Ele disse que não tem qualquer relação com algum integrante do PP que pudesse intermediar alguma arrecadação para ele. 'Essa [acusação] é totalmente fantasiosa. Como o PP mandou passar uma cota ? Não tenho relação com ninguém do PP. A matéria não diz se é uma doação oficial, quem levou, de onde saiu'.
Costa afirmou que deve divulgar uma nota à imprensa neste domingo rebatendo pontos da reportagem. O senador disse que recebeu, na campanha de 2010, R$ 150 mil em doações feitas pelo empresário Mário Barbosa Beltrão, de quem é amigo desde a adolescência.
Mário Beltrão, segundo o 'Estado', chamou as acusações de 'leviandades' e negou ter pedido dinheiro à campanha para o ex-diretor da Petrobras.
Alguns nomes de uma lista de parlamentares que teriam sido beneficiados do esquema de corrupção na Petrobras veio à tona. Entre eles, estaria a ex-ministra Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), já morto. Gleisi negou as acusações.
A Folha tentou falar com Mário Beltrão mas, até a publicação desta reportagem, não obteve retorno.(Fonte: Blog  do  Magno  Martins)

SOBRADINHO: GABRIEL LUSTOSA CONTINUA AFIRMANDO QUE MANOEL MESSIAS É O MELHOR NOME DA OPOSIÇÃO PARA DISPUTAR À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA DE VEREADORES

O  vereador  Gabriel  Lustosa  continua  dizendo  que  o  melhor  nome  da  oposição  para  disputar  a  presidência  da  câmara  de  vereadores  de  Sobradinho é  o  do  Manoel  Messias. Argumentou  Lustosa  o  senhor  é  um  homem  preparado  conhecedor  do  regimento   interno  da  casa. É  um  nome  que  tem  o  respeito de  todos  nós. É  um  cidadão  de  bem.  Por  isso digo  mais  uma vez, o  senhor  é  o  melhor  nome da  oposição para  disputar  à  presidência  desta  casa.

A careação entre Costa e Cerveró é marcada para o dia 2



Acareação entre Costa e Cerveró é marcada para o dia 2


A CPI mista da Petrobras marcou para o dia 2 de dezembro uma acareação entre o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa e do ex-diretor da Área Internacional da companhia Nestor Cerveró. Na terça-feira, 18, após a oposição se articular com integrantes da base aliada, a comissão aprovou uma série de requerimentos de convocação de envolvidos no escândalo de corrupção e ainda decidiu quebrar os sigilos bancário, fiscal e telefônico do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, entre 1º de maio de 2005 e 20 de maio deste ano. No calendário de depoimentos marcados, entretanto, a comissão ainda não agendou dois depoimentos considerados importantes pela oposição: o do presidente licenciado da Transpetro, Sérgio Machado, e do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Os trabalhos da CPI, que se encerrariam neste domingo, 23, foram prorrogados ontem até o dia 22 de dezembro. Machado foi chamado para explicar, entre outros fatos, a acusação feita por Paulo Roberto Costa de que recebeu, das mãos de Sérgio Machado, R$ 500 mil dentro do esquema de pagamento de propina que envolve a estatal. Indicado para o cargo em 2003 pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), Machado pediu o afastamento do cargo no início do mês por 31 dias após a auditoria PriceWaterhouseCoopers (PWC) ter exigido a saída dele da subsidiária da estatal como condição para auditar os balanços da Petrobras. Indicado pelo PT, Duque, por sua vez, foi apontado em uma delação premiada feita por um executivo de uma construtora como o "elo" entre o clube de construtoras que loteavam as obras da Petrobras e o esquema de pagamento de propina a políticos e agentes públicos.
Cabe ao presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), marcar as datas das reuniões. Vital chegou a dizer que iria priorizar, nos depoimentos a serem agendados, a convocação daqueles que estiverem presos - como é o caso de Renato Duque. A acareação entre Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró colocará frente a frente acusador e acusado. Em delação premiada, Costa afirmou que Cerveró recebeu propina em contratos na Petrobras, acusação negada pelo ex-diretor da Área Internacional. O pedido para colocá-los frente a frente foi apresentado pelo deputado Ênio Bacci (PDT-RS). "Acho que a acareação faz parte das investigações e nenhuma CPI tem usado muito. Aquele que é convocado, no mínimo, vai dizer algo de forma oposta (ao acusador)", afirmou o autor do requerimento. A comissão marcou para a próxima terça-feira, 26, o depoimento da diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Magda Chambriard, e do gerente-Geral de Implementação de Empreendimentos para a Refinaria Abreu e Lima, Glauco Legati. Magda foi convidada, o que significa que, pelo regimento interno, ela pode se recusar a comparecer. Glauco, por sua vez, foi convocado, medida que o obriga a ir ao colegiado. No dia seguinte, a CPI mista agendou a convocação de Márcio Bonilho, sócio da Sanko-Sider. Bonilho apareceu em um dos diálogos gravados com o doleiro Alberto Youssef. Na conversa interceptada, o doleiro reclama de Paulo Roberto Costa. A comissão marcou o depoimento do ex-diretor da Área de Gás e Energia da Petrobras Ildo Sauer. O colegiado ainda quer convocar o ex-diretor da Área de Gás e Energia da Petrobras Ildo Sauer. Em setembro, Sauer disse em entrevista ao Broadcast , serviço em tempo real da Agência Estado, que o "governo de coalizão" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva permitia que partidos políticos indicassem dirigentes para a estatal para obter "ajuda". Recentemente, Sauer teve os bens bloqueados no processo do Tribunal de Contas da União (TCU) que envolve a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Superfaturamento de R$ 43 milhões na transposição



transposição

TCU (Tribunal de Contas da União) julgou nesta quarta-feira (19) um processo que aponta superfaturamento de R$ 42 milhões em trechos das obras de transposição do Rio São Francisco. O montante representa 4,7% do orçamento de R$ 895 milhões do projeto. Trata-se da construção de um canal com 112,5 quilômetros, cruzando 13 cidades da Paraíba. O empreendimento foi financiado com recursos federais do Ministério da Integração Nacional e administrados pelo governo do Estado da Paraíba.
Além das suspeitas sobre os valores, os ministros do tribunal encontraram irregularidades na licitação organizada pela Secretaria de Meio Ambiente paraibana, em 2010. A pasta, ainda segundo o TCU, também não aprovou os projetos básicos apresentados pelas empreiteiras.
A obra foi dividida em três lotes. As empresas Carioca Christiani-Nielsen Engenharia, a S/A Paulista de Construções e Comércio e a Serveng-Civilsan arremataram o primeiro trecho, apresentando uma proposta de R$ 203 milhões.  Já os outros dois ficaram com o consórcio Acauã (empresas Construtora Queiroz Galvão, Via Engenharia, Construtora Galvão Engenharia e Construtora Marquise), que ganharão cerca de R$ 690 milhões para executá-los.
O TCU constatou superfaturamento nos três lotes: R$ 4 milhões no primeiro (equivalente a 1,2% do orçamento desse trecho); R$ 27 milhões no segundo (8,5%) e, no último, de R$ 11,3 milhões (6%). (Da Folha de S.Paulo – Gabriel Mascarenhas, Rubens Valente, Aguirre Talento)