terça-feira, 24 de abril de 2018

ELEIÇÕES 2018: FEDERAL OU ESTADUAL? BANDEIRA HIBERNA POLITICAMENTE ANTES DE ANUNCIAR DECISÃO

Bandeira, pela história de atuação em mais de duas décadas na política, vai concorrer no pleito de outubro próximo, disso quase ninguém duvida, já que o histórico mostra que ele concorreu em praticamente todas as eleições, desde que começou na vida pública.
Advogado, professor universitário, vice-prefeito de juazeiro em 1996, prefeito por duas vezes, de 1989 a 1992 pelo PTB e de 2001 a 2004 pelo PT, Joseph Bandeira concorreu para deputado federal em 2006 e 2010, sem êxito, assumindo como suplente em três oportunidades, nas vagas de Luiz Alberto e Valter Pinheiro, no primeiro mandato e na vaga de João Leão, no segundoCaso concorra para deputado federal nesta eleição seria sua terceira tentativa, desta vez pelo SD, partido que lhe proporcionou espaço para concorrer voto a voto com o atual prefeito Paulo Bonfim. Pouco mais de 2.000 votos separaram Bandeira da prefeitura em 2016.
Embora dono de um reconhecido capital eleitoral em Juazeiro, Joseph teve potencial baixo de votação fora do seu domicílio nas eleições proporcionais que disputou, o que leva muitos a crer que tentaria uma vaga na Assembleia Legislativa da Bahia, onde menos votos poderiam garantir um espaço político de atuação.Caso opte por sair candidato a federal, Bandeira testaria sua popularidade com outro ex-prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho, que concorre pelo  PCdoB. Se optar por uma vaga para deputado estadual os principais adversários seriam Zó (PCdoB) e Roberto Carlos (PDT), ex-aliados, que tentam garantir a renovação dos mandatos, dentre pelo menos uma dezena de outros concorrentes.
Tudo especulação, por enquanto, já que Bandeira, como em outras ocasiões, hiberna no cenário político, esperando, no seu tempo, a hora de sair às ruas para testar popularidade.x-prefeito de Juazeiro, Joseph Bandeira. (Fonte: Geraldo José)

Polícia prende dois suspeitos com drogas em Juazeiro

Na tarde dessa segunda-feira (23), por volta das 17h, Policiais Militares da 74ª CIPM, em Juazeiro (BA), dando prosseguimento ao combate ao tráfico de drogas, realizavam rondas no bairro Dom José Rodrigues, quando se depararam com uma pessoas em atitude suspeita. Ao abordar o indivíduo, os policiais encontraram uma quantidade de maconha com o suspeito.
Em seguida, o acusado afirmou que teria comprado de uma outra pessoa e informou as características do outro indivíduo. A guarnição se deslocou ao endereço indicado e encontrou o suspeito com quatro porções de maconha, além de R$ 157,00, no seu bolso. Indagado sobre a existência de mais drogas em sua residência, o acusado afirmou que teria mais droga. Os policiais foram até o local e encontraram mais 10 porções de maconha.
Diante do fato, a equipe policial conduziu os envolvidos para delegacia onde foi feito flagrante por tráfico e Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Vazão da barragem de Sobradinho sobre para 600m³/s a partir de maio, garante ANA

Sobradinho, a Agência Nacional de Águas (ANA) informou que a defluência do lago subirá para média diária de 600m³/s. O aumento na vazão ficou decidido após reunião da Sala de Crise do Rio São Francisco nesta segunda-feira (23).
Esta é a primeira elevação do volume de água liberado pelo reservatório desde abril de 2013, quando a Resolução ANA nº 442/2013 baixou a descarga mínima de 1300m³/s, utilizada em situação de normalidade, para 1100m³/s. A bacia hidrográfica passa por seca desde 2012, maior período contínuo do fenômeno já registrado na região.
Atualmente a vazão é de 550 m³/s, quando a ANA autorizou em julho do ano passado a redução da defluência. Este foi o menor patamar médio já adotado em Sobradinho desde sua construção em novembro de 1979.
A decisão se baseou no fato de que o Reservatório Equivalente da Bacia do Rio São Francisco – formado pelos reservatórios de Três Marias (MG), Sobradinho e Itaparica (BA/PE) – está com 39,72% de seu volume útil, sendo que um ano antes o total acumulado era de 21,48%, menor percentual do histórico. No caso específico de Sobradinho, o volume útil atual é de 37,66%, o que representa uma reserva de 10.797 hectômetros cúbicos ou 10,797 milhões de metros cúbicos.
Histórico das reduções

Candidatos à Presidência são alvos de mais de 160 investigações em tribunais


Candidatos à Presidência são alvos de mais de 160 investigações em tribunais
Foto: Reprodução / Blog Marcos Almeida
Quinze dos 20 políticos cotados para disputar a Presidência em outubro são alvo de mais de 160 casos em tribunais do país inteiro. De barbeiragem no trânsito a imbróglios na Lava Jato, os pré-candidatos são investigados, denunciados, réus, condenados e até presos, como o caso do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera as pesquisas eleitorais. De acordo com um levantamento feito pelo jornal Folha de SP, oito presidenciáveis enfrentam a Lava Jato e suas derivações em tribunais superiores, federais e estaduais. A lista inclui Lula, condenado a 12 anos e um mês por corrupção passiva, e o presidente Michel Temer (PMDB), alvo de duas denúncias e de duas investigações. Já entre os candidatos que estão no Legislativo, o senador Fernando Collor (PTC) é réu na Lava Jato e alvo de quatro inquéritos enquanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), é investigado em dois inquéritos na maior operação de combate à corrupção da história do país. Com exceção de Lula, que tem até 31% das intenções de voto, Temer, Collor e Maia não ultrapassam 2%, segundo o Datafolha. A condenação e prisão de Lula praticamente inviabilizaram sua candidatura, o que eleva os petistas Fernando Haddad e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner ao posto de “plano B” do partido. Contra Haddad há uma investigação aberta por suposto caixa dois, em decorrência da delação do empresário Ricardo Pessoa, da empreiteira UTC, um dos delatores da Lava Jato. Já contra Wagner, o ex-governador foi alvo da Operação Cartão Vermelho, que apura suspeita de propina na reforma da Arena Fonte Nova (lembre aqui). Outros dois outros casos foram enviados para o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná. Do lado tucano, Geraldo Alckmin (PSDB) é investigado por crimes relacionados a improbidade administrativa em que teria recebido caixa dois de mais de R$ 10 milhões. Delatores da Odebrecht afirmam ter direcionado o dinheiro à campanha do tucano ao governo paulista em 2010 e 2014. O caso do ex-governador de São Paulo foi encaminhado à Justiça Eleitoral. Um segundo grupo de presidenciáveis que responde por declarações que podem ser consideradas crime é puxado pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), um dos líderes na corrida ao Planalto na ausência de Lula. Bolsonaro responde por duas ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF) sob acusação de injúria e incitação ao estupro, além de uma denúncia por racismo por palestra em que criticou quilombolas. O deputado foi condenado neste último caso, em primeira instância, a pagamento de indenização de R$ 50 mil. Ciro Gomes (PDT) é campeão, em volume, de casos na Justiça. Ele acumula mais de 70 processos de indenização ou crimes contra a honra, movidos por adversários. Temer, chamado de integrante do “lado quadrilha do PMDB”, é um deles. O pedetista foi condenado em primeira instância e recorreu. O ministro aposentado do STF Joaquim Barbosa (PSB), que chega a 10% das intenções de voto, foi condenado por danos morais por ter afirmado que um jornalista “chafurdava” no lixo. O levantamento da reportagem localizou ainda casos como o de Guilherme Boulos (PSOL). Além de processos relacionados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, do qual é líder, Boulos teria batido, em setembro, na traseira de uma moto, arremessando-a contra a traseira de outro carro, segundo o boletim de ocorrência do caso. O dono do outro veículo disse à Justiça que Boulos prometeu falar com seu advogado sobre o conserto. “Desde então o requerido [Boulos] não mais atende suas ligações.” O número de 160 investigações e processos pode ser maior porque o levantamento não inclui ações em segredo de Justiça, processos trabalhistas e eventuais ações movidas na Justiça de primeira instância de estados que não são os de origem ou atuação política do presidenciável. Em resposta a matéria da Folha, o advogado de Jair Bolsonaro, Gustavo Bebianno afirmou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) agiu com viés político na denúncia sobre racismo e que o deputado fez apenas uma brincadeira. “O Jair é contrário a qualquer tipo de cotas. O que aconteceu no passado, com índio, negro, seja lá quem for, tem que ficar no passado. A gente tem que construir é daqui pra frente, um Brasil igualitário”. Já sobre acusação de incitar estupro, a defesa afirmou que Bolsonaro só revidou a agressão, em momento de cabeça quente. A assessoria de Geraldo Alckmin disse que está à disposição para esclarecimentos e que tem “total consciência da correção de seus atos”. Ciro Gomes declarou, via assessoria, que não teve o nome citado “na Lava Jato nem em qualquer roubalheira” e que todos os processos estão relacionados a opiniões, não a desvio moral. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, respondeu dizendo que tem prestado os esclarecimentos necessários e que confia na Justiça. Guilherme Boulos afirmou, via assessoria, que “o próprio autor da reclamação diz que quem atingiu o veículo dele foi um motociclista, que teria fugido depois do acidente”. As defesas de Lula e as assessorias de Michel Temer e de Fernando Collor, alvos da Lava Jato, não quiseram se manifestar. Joaquim Barbosa também não quis se pronunciar.

Dilma reforça que PT não tem ‘plano B’ para 2018: ‘Teríamos se o Lula fosse culpado’



Dilma reforça que PT não tem ‘plano B’ para 2018: ‘Teríamos se o Lula fosse culpado’
Foto: Reprodução / Facebook
Depois de ter sua visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva barrada nesta segunda-feira (23) (veja aqui), a presidente Dilma comparou a prisão de Lula com as feitas na Ditadura (leia aqui) e reafirmou que o PT não tem plano B para as eleições presidenciais deste ano. “Eu acho estranho essa obsessão da mídia com um plano B. Teríamos plano B se o Lula fosse culpado”, declarou a ex-presidente em coletiva concedida em frente ao prédio da Polícia Federal em que Lula está detido em Curitiba. Sobre a sugestão que petistas estariam recebendo do Superior Tribunal Federal (STF) para tirar Lula dos holofotes para que ele seja solto (veja aqui), Dilma contestou o papel de ministros do Tribunal. “Hoje se coloca a renúncia de Lula como moeda de troca. Isso é um absurdo e pouco ético se for proposto como discussão em qualquer instância", falou. Ainda sobre 2018, questionada sobre o seu “plano A” de concorrer a uma vaga no Senado Federal (saiba mais aqui), Dilma preferiu não mudar o rumo das conversas. “Meu plano A é Lula. Se eu responder essa pergunta vocês vão dar ênfase para isso. Eu quero dar atenção a situação do ex-presidente. Lula tem que ser libertado", desviou a ex-presidente. "Depois do impeachment, fiquei mais esperta”, encerrou o assunto. 

Com título para receber na BA, Ciro pode conquistar apoio de caciques do centrão no NE


Com título para receber na BA, Ciro pode conquistar apoio de caciques do centrão no NE
Foto: Divulgação
Com um título para receber de cidadão baiano na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o pré-candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, pode receber apoio de caciques do centrão no Nordeste por causa da indefinição sobre a candidatura que pode emergir do PT. Eles começaram a sondar as direções de suas siglas sobre a possibilidade de declararem apoio a Ciro, de acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.  Ciro ia receber a honraria baiana na última sexta-feira (20), mas cancelou o evento. Uma nova data vai ser marcada.

Fachin manda recurso de Lula contra prisão para plenário virtual da 2ª turma


Fachin manda recurso de Lula contra prisão para plenário virtual da 2ª turma
Foto: José Cruz/ Agência Brasil
O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou para julgamento no plenário virtual da Segunda Turma da Corte o recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), contra decisão do próprio ministro na reclamação feita ao STF um dia antes da prisão do petista. Lula cumpre pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba desde o dia 7 de abril. O plenário Virtual permite que os ministros votem de forma eletrônica nos processos. Ele funciona 24 horas por dia, e os ministros podem acessá-lo de forma remota.Na última sexta-feira, 20, a defesa pediu prioridade no julgamento do caso. No recurso, os advogados alegam que a prisão de Lula é ilegal porque o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) ainda precisa decidir sobre a admissão dos recursos extraordinários no caso do triplex do Guarujá. De acordo com a defesa, em função disso, a segunda instância da Justiça ainda não exauriu no caso do petista. Lula já teve os segundos embargos de declaração analisados pelo TRF-4. No mesmo dia em que o ex-presidente foi preso, Fachin negou os pedidos feitos na reclamação à Corte, que pediam a liberdade de Lula. Contra essa decisão, a defesa entrou com recurso no Supremo. Primeiramente, a defesa pedia a Fachin que reconsiderasse a decisão. Alternativamente, os advogados pediam que o recurso fosse julgado na Segunda Turma do STF. Composta por Fachin, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes, a turma deve julgar o recurso de Lula através do plenário virtual, para onde o processo foi enviado durante a tarde desta segunda-feira (23). A tese levantada no pedido feito no recurso de Lula ao STF, protocolado no último dia 13, alega que a Corte, ao decidir em 2016 que é possível executar a pena antecipada, não definiu que a segunda instância exaure ao serem julgados os primeiros embargos de declaração. Para a defesa, a segunda instância só se esgota após o TRF-4, no caso de Lula, se desvencilhar de qualquer decisão em relação aos recursos extraordinários. O tribunal de segunda instância é responsável por admitir o recurso especial, que é analisado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os advogados ainda acrescentam que o segundo grau só acaba quando é analisado um eventual agravo contra uma não admissão do recurso no tribunal. Inicialmente, o plenário virtual servia apenas para votação sobre a existência de repercussão geral em matéria discutida em recurso extraordinário. Uma emenda regimental aprovada em 2016 permitiu o julgamento de agravo interno e embargos de declaração por meio da plataforma.

Ministro libera para julgamento primeira ação de político da Lava Jato


Ministro libera para julgamento primeira ação de político da Lava Jato
Foto: Viola Junior / Câmara dos Deputados
O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta segunda-feira (23) para julgamento a a ação penal contra o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) e seus dois filhos, Nelson Meurer Júnior e Cristiano Augusto Meurer. Segundo informações da Agência Brasil, esse deve ser o primeiro julgamento de um réu com foro privilegiado na Operação Lava Jato desde o início das investigações. O caso será julgado pela segunda turma do STF, também formada pelos ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Meurer foi denunciado em outubro de 2015 pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A acusação aponta que ele teria recebido mais de R$ 357 milhões em propina em nome do PP entre os anos de 2006 e 2014, como parte do esquema de corrupção da Petrobras. A denúncia foi aceita pelo STF em junho de 2016.

Lúcio ‘ameaça’ usar vídeo de Geddel para obrigar ministro a liberar recursos à Bahia


Lúcio ‘ameaça’ usar vídeo de Geddel para obrigar ministro a liberar recursos à Bahia
Foto: Agência Câmara
O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) “ameaçou” o então ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, como forma de “pressioná-lo” a liberar recursos para a Bahia. De acordo com a coluna Radar, da revista Veja, há cerca de dois meses, o peemedebista se reuniu com titular da pasta na época, para fazer o pedido. No momento de ir embora, o deputado brincou com ele. Disse que, se o dinheiro não saísse, colocaria o irmão dele, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, para gravar um vídeo pedindo votos para Helder. Atualmente, o ex-ministro está preso, após a Polícia Federal encontrar R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador.

Líder do PT na Câmara mantém inspeção na carceragem da PF em Curitiba


Líder do PT na Câmara mantém inspeção na carceragem da PF em Curitiba
Foto: Gustavo Lima / Agência Câmara
O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), afirmou nesta segunda-feira (23) que manterá a inspeção da Comissão Externa da Câmara dos Deputados à sede da Polícia Federal em Curitiba. O grupo formado por 12 deputados pretende fiscalizar as condições de encarceramento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas teve o acesso negado pela  juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba. “Na qualidade de coordenador da Comissão Externa, comuniquei aos outros doze membros e ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que a inspeção está mantida para amanhã, terça-feira (24), às 11h, com o objetivo de verificar in loco as condições em que se encontra detido o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, afirmou Pimenta, por meio de nota. Segundo o parlamentar, em nenhum momento a Comissão solicitou à juíza autorização para a inspeção, pois se trata de prerrogativa constitucional da Câmara dos Deputados formar comissões externas para verificar condições carcerárias em todo país. “A Comissão comunicou à juíza a data da realização da inspeção e lhe solicitou providências junto à Polícia Federal para viabilizar o acesso da delegação parlamentar”, ressaltou Paulo Pimenta. “A juíza não poderia invadir prerrogativa da Câmara dos Deputados, definida pela Constituição Federal, e tampouco lhe caberia negar um pedido que não foi feito pela Comissão”, completou.

Polícia Federal cumpre mandado na Câmara dos Deputados


Polícia Federal cumpre mandado na Câmara dos Deputados
Foto: Divulgação
Polícia Federal (PF) está cumprindo mandado nesta terça-feira (24) na Câmara dos Deputados. O mandado foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A operação foi deflagrada em conjunto com a Procuradoria Geral da República (PGR). Há mandado contra o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) e buscas também no apartamento dele. De acordo com a Globo News, há um mandado contra um senador e um ex-parlamentar(Atualizada às 7h25).

Presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira é alvo da PF


Presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira é alvo da PF
Foto: Moreira Mariz/Agência Senado
O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, é alvo da Operação Lava Jato, deflagrada nesta terça-feira (24). Os mandados foram autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A operação foi deflagrada em conjunto com a Procuradoria Geral da República (PGR). Há mandados também contra o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), com buscas no gabinete e no apartamento dele (veja aqui). Ainda não foram divulgados detalhes sobre a operação desta manhã, mas o deputado já foi acusado de corrupção passiva, no âmbito da Lava Jato. O parlamentar é suspeito de intermediar uma negociação entre o ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, para barrar as investigações da CPI da Petrobras no Senado. A denúncia foi rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em dezembro, mas no dia 14 de março, a Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou um recurso ao STF contra a rejeição. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, a procuradora-geral Raquel Dodge aponta que a denúncia não foi baseada em elementos obtidos apenas através de delação premiada, como argumentado pela defesa do pepista. A suspeita é de que Guerra, morto em março de 2014, teria recebido R$ 10 milhões das empresas Queiróz Galvão e Galvão Engenharia, a fim de que as investigações não mostrassem resultados. Eduardo da Fonte nega a acusação. (Atualizada às 7h53)

Ciro e Haddad se reúnem e conversam sobre frente de centro-esquerda


Ciro e Haddad se reúnem e conversam sobre frente de centro-esquerda
Foto: Gabriela Gonçalves/G1
Uma reunião entre parlamentares de centro-esquerda foi realizada nesta segunda-feira (24). Ciro Gomes, Fernando Haddad, Delfim Neto e Luiz Carlos Bresser-Pereira reuniram-se pela manhã para discutir pautas para a eleição presidencial deste ano, de acordo com informações da Folha de S. Paulo. "É a centro-esquerda que tem chances reais", opinou o ex-prefeito Fernando Haddad. Tanto ele quanto Ciro Gomes acham possível que o PDT e o PT formem uma chapa conjunta já para o primeiro turno, com Haddad como vice. Eles chegaram a conversar sobre o futuro político de Joaquim Barbosa, que de acordo com eles, tem três empecilhos à sua candidatura: sua família não quer; setores regionais do PSB não o veem com bons olhos, em função de alianças locais; e o próprio ex-ministro do Supremo não sabe se quer ser candidato. Para Bresser, uma chapa com Ciro e Haddad teria como romper "com a camisa de força que quer pôr no eleitorado".

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Dos 415 políticos citados na 'delação do fim do mundo', apenas um foi condenado


Dos 415 políticos citados na 'delação do fim do mundo', apenas um foi condenado
Foto: Gustavo Lima

Um ano após a divulgação da "delação do fim do mundo" da Odebrecht, apenas um político foi condenado. Ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, Aldemir Bendine recebeu pena de 11 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com os delatores da empreiteira, ele cobrou propina em troca de proteção depois de assumir a presidência da Petrobras em 2015. Bendine está detido no Complexo Médico Penal de Pinhais, em Curitiba.  Segundo reportagem de O Globo, dos 415 políticos de 26 partidos citados no acordo de colaboração, a maioria nem foi acusada formalmente. Há 270 investigações iniciadas a partir da delação, tendo apenas cinco delas se revertido em ações penais. Dentre os 74 casos que ficaram no Supremo Tribunal Federal (STF), a maioria das investigações também não foi concluída. Apenas uma delas virou ação penal, que é o caso do senador Romero Jucá (PMDB-RR), acusado de receber R$ 150 mil em propinas da empresa em meio à tramitação de duas medidas provisórias. Embora também seja réu em um processo decorrente da delação – o das reformas no sítio de Atibaia –, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi condenado em segunda instância no processo do tríplex do Guarujá, que não tem relação com a empreiteira.415 políticos citados na 'delação do fim do mundo', ap

PGR cobra que PF compartilhe itens recolhidos nas casas de Loures e do coronel Lima


PGR cobra que PF compartilhe itens recolhidos nas casas de Loures e do coronel Lima
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, cobrou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a Polícia Federal compartilhe itens recolhidos durante o cumprimento de mandados de busca e operação realizados no último ano. De acordo com informações da jornalista Andréia Sadi, do G1, o documento pede acesso ao que foi encontrado nas casas de Rodrigo Rocha Loures, ex-deputado e ex-assessor de Temer; do coronel aposentado João Batista Lima Filho, amigo de Temer; nas empresas Argeplan e Rodrimar, e na sede do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Verificou-se que a autoridade policial não encaminhou alguns itens apreendidos, sendo necessário ultimar a análise de tais bens e documentos, ante o lapso temporal já decorrido desde a deflagração da Operação Patmos", relatou Dodge no ofício enviado ao STF, que foi assinado no último dia 9 de abril.

‘Quero a minha liberdade’, pede Lula em carta para dirigentes do PT por Bruno Luiz


‘Quero a minha liberdade’, pede Lula em carta para dirigentes do PT
Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
Em carta enviada aos dirigentes do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse querer a sua liberdade. O documento foi lido nesta segunda-feira (23) pela presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (RS). Nele, o petista disse ter ficado feliz com o resultado da última pesquisa Datafolha, publicada no dia 15 de abril deste mês, na qual ele, mesmo preso, continua na liderança das intenções de voto para a Presidência da República, mesmo caindo de 37% para 31% em relação ao último levantamento, feito em janeiro. “2018 é muito importante para o PT, para a esquerda, para a democracia e para mim. Eu quero a minha liberdade. [...] Fiquei feliz com a pesquisa e preciso discutir com os nossos para pensar como fortalecer a ideia da prova”, disse. O ex-presidente também falou sobre o fato de dirigentes petistas terem sido aconselhados a retirá-lo dos holofotes, como forma de ajudá-lo a ser liberado pelo Supremo Tribunal Federal (leia aqui). “Tem insinuações de que eu, se não for candidato, se eu não tiver holoforte, se eu não falar contra a condenação, será mais fácil a votação a meu favor. Querida Gleisi, a Suprema Corte não tem que absolver porque sou candidato, porque vou ficar bonzinho. Ela tem que votar porque sou inocente e também para recuperar o papel constitucional que ela quer, que é ser garantia do comportamento da Constituição”, ressalta. Em um trecho final, Lula diz que pedirá os advogados para falarem com Gleisi e pondera que a luta continuará “até a vitória final”. “Vou conversar com os advogados para falarem com você. A luta continua até a vitória final. Beijo do seu amigo e companheiro, Lula.” Veja abaixo o vídeo com a leitura da carta. 

Candeias: Três dos seis PMs envolvidos na morte do artista Naldinho são afastados


Candeias: Três dos seis PMs envolvidos na morte do artista Naldinho são afastados
Foto: Divulgação
Três dos seis policiais militares envolvidos na morte do artista plástico Arnaldo Filho, de 61 anos, também conhecido como Naldinho, que foi baleado neste sábado (21) na cidade de Candeias (lembre aqui), foram afastados das atividades operacionais. De acordo com o site do jornal Correio, eles foram afastados para acompanhamento com a equipe de psicologia do Departamento de Promoção Social (DPS) da Corporação, no entanto, irão responder ao Inquérito Policial Militar instaurado. Segundo a PM, os policiais afastados foram os três que atenderam o primeiro momento da ocorrência. “Os policiais já foram afastados e o comandante-geral (Anselmo Vasconcelos) determinou rigor e rapidez na apuração”, falou o capitão Bruno nesta segunda-feira (23), em entrevista à TV Bahia. A in vestigação está sendo feita pela Corregedoria da PM.

Dilma compara prisão de Lula a Ditadura: 'Ele é caçado como nós éramos'


Dilma compara prisão de Lula a Ditadura: 'Ele é caçado como nós éramos'
Foto: Reprodução / Facebook
A ex-presidente Dilma Rousseff declarou que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é pior do que as feitas na época da Ditadura no Brasil, em 1964. Depois de ter sua visita a Lula barrada pela execução penal de uma sentença da 12ª Vara Federal de Curitiba nesta segunda-feira (12) (veja aqui), a ex-presidente comparou a sua prisão, feita na Ditadura, com a do correligionário. “Eu tenho experiência em ser presa e, mesmo na ditadura, você poderia receber parentes, amigos e advogados. Esse bloqueio é muito estranho”, declarou a ex-presidente. “Ele [Lula] é caçado como nós éramos. Ele não pode estar em uma solitária. A situação não pode ser a como está ocorrendo conosco”, continuou Dilma em entrevista coletiva concedida em frente ao acampamento pró-Lula nos entornos do prédio da Polícia Federal em Curitiba que o petista está detido. Ainda sobre atual situação do país, Dilma comparou a democracia a uma árvore: “Na época do golpe militar a árvore da democracia foi cortada. Hoje, a árvore é comida por fungos e sofre com esses fungos nas suas raízes”. Outros petistas também se manifestaram sobre o bloqueio da visita nesta tarde. Além de Dilma, Lula receberia a visita da senadora Gleisi Hoffmann e do senador Lindbergh Farias. "Prepotente, arbitrária, ilegal a decisão judicial que nos impede de visitar Lula! Não estamos na normalidade política, institucional. A democracia está morrendo no Brasil!", declarou Hoffmann no Twitter.  O senador Lindbergh Farias também se manifestou em sua rede social: "Juiza Carolina Lebbos acaba de indeferir todos os pedidos de visita a Lula. Inclusive os de Dilma, Gleisi e Esquivel. É mais uma arbitrariedade desse judiciário reaça e militante!"

BN na Tela: Lula pede liberdade em carta e ato cobra justiça após morte em Candeias


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu, em uma carta enviada a dirigentes do PT, que quer a sua liberdade. Lula comentou ainda sobre o resultado das últimas pesquisas eleitorais, que o mostram na frente mesmo após sua prisão. Porém, uma outra notícia não deixou Lula nada feliz. Responsável pela execução penal da sentença do ex-presidente Lula, a juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, negou o pedido de diversos políticos para visitá-lo na cadeia. Outro destaque do BN na Tela desta segunda-feira (23) é o ato organizado em Candeias, na região metropolitana de Salvador, após a morte do artista plástico Arnaldo Filho, conhecido como "Nadinho". Ele era também era professor de artes plásticas e ensinava arte no ateliê que tinha em casa. Arnaldo morreu após ser baleado dentro de casa, na noite de sábado (21), por policiais militares. Três PMs já foram afastados. Também nesta segunda, um levantamento do jornal O Globo mostra que dos 415 citados na delação da Odebrecht, apenas um foi condenado até o momento.

Cipe Caatinga erradica 2,5 mil pés de maconha em Abaré

2,5 mil pés de maconha foram destruídos por policiais militares da Cipe Caatinga na tarde do sábado (21), em Abaré, na região do Vale do São Francisco. Segundo a PM da Bahia, as equipes chegaram ao local após uma denúncia anônima.
No local os policiais foram recebidos por tiros, mas os bandidos conseguiram fugir. De acordo com a Cipe Caatinga, os pés de maconha tinham aproximadamente 1,5 metro de altura e também foram encontradas porções da droga já prontas para comercialização.