Chico Ferreira

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Assassino de ex-policial federal é transferido para Petrolina



Na noite dessa quarta-feira (17), por volta das 22h30, foi transferido, em um voo oriundo do Rio Grande do Norte, para Petrolina, a pessoa de Péricles Gomes da Silva, de 30 anos, o qual é acusado de, juntamente com Alexsandro da Silva, terem assassinado com 4 tiros o ex-policial federal Marcio Roberto Figueiredo Habib. O homicídio se deu na noite de 15/09/2013, no Bairro Palhinhas, nesta cidade. “Habib” trabalhou na Delegacia da Polícia Federal em Juazeiro-BA até 2008, quando foi condenado pela Justiça Federal a perda do cargo de agente. O homicida Péricles estava morando no Rio Grande do Norte, onde foi preso em novembro de 2014, e nessa quarta-feira foi transferido para esta comarca para responder pelo crime cometido. O outro acusado continua foragido.
Ascom 26ª DESEC/PCPE

Fonte: Blog Diniz K-9

PSDB responde a Toffoli: haverá 3º turno, sim senhor!

  Ainda com dificuldade de digerir a vitória de Dilma Rousseff sobre Aécio Neves no dia 26 de outubro, o PSDB emitiu uma nota nesta sexta-feira (19) atacando o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Dias Toffoli, e garantindo que vai ter 'terceiro turno', sim. A legenda promete continuar apresentando recursos judiciais na tentativa de cassar o segundo mandato da presidente petista, alegando fraude eleitoral.
Divulgado um dia após a diplomação de Dilma, o texto sustenta que o PT fez uso de mecanismos suspeitos para vencer a eleição presidencial (como dinheiro possivelmente desviado de esquemas na Petrobras), e crava que o TSE fez vistas grossas aos crimes porque seu presidente, Toffoli, ainda se comporta como advogado do PT.
A nota do PSDB é uma resposta ao discurso de Toffoli durante a diplomação de Dilma. O magistrado precisou ressaltar que as contas da campanha petista foram aprovadas e que não há espaço no TSE para tapetão. Horas antes, os tucanos haviam entrado com mais uma representação na Justiça Eleitoral, solicitando o impedimento da petista e a diplomação de Aécio em seu lugar.
Abaixo, a nota do PSDB em resposta ao ministro:
Dilma Rousseff foi diplomada ontem como presidente reeleita do país. Com tantas suspeitas ainda pairando sobre a campanha que a levou à vitória em outubro, é no mínimo temerário que o TSE tenha lhe garantido o certificado. Talvez fosse diferente se um ex-advogado do PT não comandasse a Justiça Eleitoral brasileira.
A cerimônia ontem era de Dilma, mas quem ocupou a ribalta foi José Antonio Dias Toffoli. O presidente do TSE abandonou a postura que se espera de um magistrado para envergar a toga de um militante político. Lembrou os velhos tempos em que defendia gente como José Dirceu e Delúbio Soares, condenados que agora têm no currículo uma longa temporada na Papuda.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral decretou que a eleição presidencial é “página virada”. Foi mais longe e, enfático, ordenou que quem levanta suspeitas sobre os métodos empregados pela campanha vitoriosa “se calem”. “Não há espaço para terceiro turno que possa vir a cassar o voto destes 54.501.118 eleitores”, discursou, para delírio dos petistas presentes.
O mais engajado militante talvez não conseguisse produzir melhor peça de campanha. A experiência pregressa de Toffoli como causídico talvez o tenha ajudado nesta hora: inclui serviços prestados ao PT e à CUT durante nove anos, um cargo na Casa Civil à época em que Dirceu a comandava e a chefia da Advocacia-Geral da União durante o tempo em que o governo Lula esteve sob o fogo cruzado das investigações do mensalão.
Por que os brasileiros que desconfiam da lisura da campanha que deu mais um mandato a Dilma Rousseff devem calar-se? Por que devem ignorar as denúncias de que dinheiro sujo desviado de cofres públicos pode ter financiado a vitória petista? Por que devem esquecer o uso da máquina estatal para beneficiar a candidata oficial, como aconteceu nos Correios? Por que devem sublimar o mais explícito terrorismo já praticado numa eleição no país?
Num país (ainda) democrático como o Brasil, acima de tudo estão as instituições e o sagrado direito de manifestação. A legalidade da vitória da presidente é indiscutível. Mas isso não significa calar-se diante das monumentais evidências de que a eleição foi ganha pelo PT com métodos espúrios, com procedimentos inadequados, com aviltamento de instituições, com fortes suspeitas de ligações do partido da candidata com a corrupção.
É por isso que as forças de oposição têm recorrido, e continuarão recorrendo, à Justiça para que prevaleçam os preceitos legais, para que as instituições sejam respeitadas, para que a lisura das disputas eleitorais assegure que a vontade do eleitor seja sempre soberana. O ex-advogado do PT pode até querer defender os 54.501.118 de cidadãos que optaram por Dilma Rousseff, mas não pode pretender calar os 51.041.155 de brasileiros que preferiram Aécio Neves.

Roseana sai mas fica com pensão vitalícia de R$ 24 mil




 A ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB), que renunciou ao mandato no último dia 10, voltará a receber uma pensão vitalícia de R$ 24 mil mensais. O ato, assinado pelo governador em exercício do Estado, Arnaldo Melo (PMDB), foi publicado no Diário Oficial do estado no dia 12, dois dias após a renúncia da peemedebista.
A concessão de pensões vitalícias a ex-governadores é controversa, embora todos os ex-governadores do Maranhão — ou seus cônjuges — a recebam.
Adversários políticos da ex-governadora Roseana Sarney informaram que vão recorrer à Justiça contra a concessão da aposentadoria vitalícia, tanto para ela como para os outros ex-governadores.

Congresso: pior do que o atual, só o próximo





 E a reforma política, cantada em prosa e verso durante a recente campanha presidencial? Saiu pelo ralo, porque nem Dilma Rousseff tocou outra vez no tema, nem o Congresso aproveitou o final de mandato senão para votar, ao menos para equacionar o trabalho da próxima Legislatura. Sequer o Supremo Tribunal Federal deu continuidade ao julgamento que proíbe empresas privadas de doarem recursos para as campanhas. Os três poderes da República demonstraram não falar a sério quando levantaram a ponta do tapete da reforma política, preferindo deixar a sujeira debaixo dele.

A presidente da República chegou a anunciar a disposição de ver convocada uma Assembleia Constituinte exclusiva, aliás, uma grossa bobagem, mas sentindo a impossibilidade jurídica da proposta, esqueceu da reforma propriamente dita.
Deputados e senadores reeleitos sob a promessa de mudarem regras eleitorais e institucionais demonstram que não falavam a sério. Afinal, seria suicídio alterar a legislação que serviu para preservar seus mandatos.
Na mais alta corte nacional de justiça, quatro votos já haviam sido dados pela proibição das doações empresariais, mas há mais de seis meses que o ministro Gilmar Mendes pediu vistas e engavetou sua opinião.
Em suma, nada de novo sob o sol. As campanhas continuarão à mercê de operações de compra e venda, quer dizer, os eleitos beneficiados pelas doações pagarão aprovando projetos de interesse dos doadores. A diminuição do número de partidos esbarra na lambança do aluguel oferecido pelas pequenas legendas a quem se dispuser pagar mais. Do voto distrital não se cogita porque levará o eleitor a cobrar mais empenho dos eleitos. Nem se pensa na revogação da reeleição, que como regra dobra o tempo de permanência dos governantes no governo, precisamente pelo uso imoral das estruturas do poder. Acabar com a triste figura dos suplentes de senador significa suprimir sinecuras e obrigar os senadores eleitos a trabalhar. Mudar a forma de indicação dos ministros do Supremo Tribunal Federal equivale a tirar do Executivo a possibilidade de escolher juristas amigos e amestrados. Trocar o presidencialismo pelo parlamentarismo seria fechar as portas para o caudilhismo.
E assim por diante, ou seja, ninguém quer mudar nada capaz de alterar privilégios e distorções. Razão tinha o dr. Ulysses quando sentenciou que pior do que o atual Congresso, só o próximo.

(Carlos Chagas)

Marcos Valério revela os segredos do mensalão e envolve Lula



Faltavam catorze minutos para as 7 da manhã da última quarta-feira quando o empresário Marcos Valério, o pivô financeiro do mensalão, parou seu carro em frente a uma escola, em Belo Horizonte. Alvo das mais pesadas condenações no julgamento que está em curso no Supremo Tribunal Federal (STF), ele tem cumprido religiosamente a tarefa de levar o filho todos os dias ao colégio. Desce do carro, acompanha o menino até o portão e se despede com um beijo no rosto. Chega mais cedo para evitar ser visto pelos outros pais e alunos e vai embora depressa, cabisbaixo. "O PT me transformou em bandido", desabafa. Valério sabe que essa rotina em breve será interrompida. Ele é o único dos 37 réus do mensalão que não tem um átimo de dúvida sobre seu futuro. Na semana passada, o publicitário foi condenado por lavagem de dinheiro, crime que acarreta pena mínima de três anos de prisão. Computadas as punições pelos crimes de corrupção ativa e peculato, já decididas, mais evasão de divisas e formação de quadrilha, ainda por julgar, a sentença de Marcos Valério pode passar de 100 anos de reclusão. Mesmo com todas as atenuantes da lei penal brasileira, não é improvável que ele termine seus dias na cadeia. Valério tem culpa no cartório, mas fica evidente que ele está carregando sobre os ombros uma carga penal que, por justiça, deveria estar mais bem distribuída entre patentes bem mais altas na hierarquia do mensalão. É isso que mais martiriza a alma de Valério neste momento, uma dor que ele tenta amenizar lembrando, sempre que pode, que seu silêncio sobre os responsáveis maiores acima dele está lhe custando muito caro.
Apontado como o responsável pela engenharia financeira que possibilitou ao PT montar o maior esquema de corrupção da história, Valério enfrenta um dilema. Nos últimos dias, ele confidenciou a pessoas próximas detalhes do pacto que havia firmado com o partido. Para proteger os figurões, conta que assumiu a responsabilidade por crimes que não praticou sozinho e manteve em segredo histórias comprometedoras que testemunhou quando era o "predileto" do poder. Em troca do silêncio, recebeu garantias. Primeiro, de impunidade. Depois, quando o esquema teve suas entranhas expostas pela Procuradoria-Geral da República, de penas mais brandas. Valério guarda segredos tão estarrecedores sobre o mensalão que não consegue mais reter só para si - mesmo que agora, desiludido com a falsa promessa de ajuda dos poderosos que ele ajudou, tenha um crescente temor de que eles possam se vingar dele de forma ainda mais cruel. Os segredos de Valério, se revelados, põem o ex-presidente Lula no epicentro do escândalo do mensalão. Sim, no comando das operações. Sim, Lula, que, fiel a seu estilo, fez de tudo para não se contagiar com a podridão à sua volta, mesmo que isso significasse a morte moral e política de companheiros diletos. Valério teme, e fala a pessoas próximas, que se contar tudo o que sabe estará assinando a pior de todas as sentenças - a de sua morte: "Vão me matar. Tenho de agradecer por estar vivo até hoje".

Emocionada, Renata entrega diploma a Câmara




A ex-primeira-dama de Pernambuco Renata Campos entregou o diploma de governador de Pernambuco ao ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB), afilhado político de seu ex-marido e ex-governador Eduardo Campos. Discreta, Renata não quis conversar com a imprensa ao entrar no Teatro dos Guararapes para a cerimônia de diplomação do socialista realizada na tarde desta sexta-feira.
O socialista afirmou que o ato da diplomação é democrático. Também disse estar feliz e garantiu que vai honrar os votos dados pelos pernambucanos. "Estamos muito próximos do dia 1º e muito motivados para trabalhar pelo estado". Sobre a diplomação da presidente Dilma Rousseff (PT), que aconteceu nesta quinta-feira, Câmara afirmou que os dois combinaram para dialogar sobre as prioridades de Pernambuco e do Nordeste."Dilma foi muito receptiva e simpática. Ela conhece muito bem os desafios e se colocou à disposição para ajudar", declarou.
Com relação às prioridades do estado, Paulo Câmara afirmou que há muitas obras na área de infraestrutura, especialmente a hídrica e a rodoviária, que estão sendo negociadas junto ao governo federal. Acrescentou, ainda, que há uma série de projetos que ele quer levar para consolidar a educação, a saúde e a segurança do estado e mostrar que é possível levar o modelo de gestão adotado pelo PSB para outras federações do país.
Sobre o suposto envolvimento do ex-governador e de seu ex-padrinho político, Eduardo Campos, e do senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB) no esquema de corrupção da Petrobras, Paulo Câmara saiu em defesa dos dois. "É uma situação em que não há provas e não mostra nenhum fato", disse, acrescentando que Campos sempre defendeu investigações profundas na estatal. Paulo Câmara disse também estar consciente de que Eduardo fez um grande governo, sempre em favor do estado com muita seriedade. "Eduardo combatia como poucos a corrupção neste país". Os nomes de Eduardo Campos e Bezerra Coelho estariam entre os 28 citados pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em sua delação premiada.
A cerimônia foi conduzida pelo presidente do Tribunal Regional de Pernambuco (TRE-PE), Fausto Campos. Na ocasião, também foram diplomados o vice-governador eleito Raul Henry (PMDB) e o senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB). O evento também vai diplomar os 25 deputados federais e os 49 deputados estaduais eleitos por Pernambuco. Algumas autoridades, como o governador João Lyra Neto e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, ambos do PSB, acompanham a solenidade.

FINALMENTE A P0PULAÇÃO  BRASILEIRA TEM ACESSO AOS NOMES DOS POLÍTICOS ENVOLVIDOS NO PROPINODUTO DA LAVA JATO


O DELATOR - Paulo Roberto Costa detalhou à PF suas relações com políticos

 
O DELATOR – Paulo Roberto Costa detalhou à PF suas relações com políticos (Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
Em reportagem estampada na capa da edição de 10 de setembro deste ano, VEJA revelou que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa havia dado às autoridades o nome de mais de trinta políticos beneficiários do esquema de corrupção instaurado na estatal. A lista incluía algumas das mais altas autoridades do país e integrantes dos partidos da base de apoio do governo do PT. Estavam lá três governadores, seis senadores, um ministro de Estado e pelo menos 25 deputados federais.
Três semanas depois,VEJA revelou que Costa contou às autoridades que, em 2010, o ex-ministro Antonio Palocci o procurou para pedir 2 milhões para campanha da presidente Dilma Rousseff. Ao longo das mais de oitenta horas de depoimento, Costa envolveria ainda os nomes de outros políticos no petrolão.
Reportagem desta sexta-feira do jornal O Estado de S. Paulo inclui mais cinco nomes no rol dos citados no petrolão: o governador reeleito do Acre, Tião Viana (PT), os deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS).
Como revelou VEJA, Costa apontou como beneficiários do esquema também os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), além do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA). Do Senado, Ciro Nogueira (PI), presidente nacional do PP, e Romero Jucá (PMDB-RR), o eterno líder de qualquer governo. Já no grupo de deputados, o petista Cândido Vaccarezza (SP) e João Pizzolatti (SC), um dos mais ativos integrantes da bancada do PP na casa.
O ex-ministro das Cidades e ex-deputado Mario Negromonte, também do PP, é outro citado como destinatário da propina. Da lista de três “governadores” citados pelo ex-diretor, todos os políticos são de estados onde a Petrobras tem grandes projetos em curso: Sérgio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio, Roseana Sarney (PMDB), atual governadora do Maranhão, e Eduardo Campos (PSB), ex-governador de Pernambuco e ex-candidato à Presidência da República morto em agosto deste ano em um acidente aéreo.
Segundo o jornal, Costa afirmou às autoridades que teria intermediado, em 2010, o pagamento de 20 milhões de reais para o caixa dois da campanha de Eduardo Campos, então candidato a reeleição em Pernambuco. De acordo com o delator, o operador da transação foi o ex-ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra. A reportagem informa ainda que o ex-diretor citou os nomes do tucano Sérgio Guerra, morto em março deste ano, dos senadores petistas Delcidio Amaral (MS), Gleisi Hoffmann (PR), Humberto Costa (PE) e Lindbergh Farias (RJ).
O jornal informa ainda que Costa disse, em depoimento, que o então presidente do PSDB o teria procurado em 2010 e cobrado 10 milhões de reais para enterrar a CPI da Petrobras aberta no Senado no ano anterior. Também afirmou que teria repassado 1 milhão de reais para a campanha de Gleisi ao Senado no mesmo ano. E disse que, nas eleições de 2014, ficou responsável por pedir a empreiteiras doações para a campanha de Lindbergh ao governo do Rio de Janeiro.
Com base nos depoimentos de Costa e também do doleiro Alberto Youssef, caixa do petrolão, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhará ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de abertura de inquérito contra os políticos pilhados no petrolão. Permanecerão no Supremo inquéritos contra parlamentares, autoridades com prerrogativa de foro e casos em que a atuação no esquema estiver diretamente ligada aos políticos. Os casos de políticos que não conseguiram um novo mandato nestas eleições devem permanecer em primeira instância. Janot, contudo, apenas apresentará os pedidos de investigação em fevereiro do ano que vem, ao término do recesso do Judiciário.

A presidente Dilma Rousseff e Michel Temer, seu vice, foram diplomados nesta quinta-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral. Dilma se esqueceu de que recebia ali o documento que lhe permite tomar posse do segundo mandato e resolveu pensar como uma socióloga nefelibata, do tipo que anda com a cabeça nas nuvens e os pés também. A governanta decidiu se referir à roubalheira na Petrobras e, ora vejam!, dividir as suas culpas conosco. Na verdade, tudo bem pensado, foi ainda mais grave: a presidente nos tomou a todos como corruptos — os brasileiros no geral.

Rodolfo Landim é cotado para assumir Petrobras


 
Rodolfo Landim é cotado para assumir Petrobras


O ex-presidente da OGX, Rodolfo Landim, é um dos nomes cogitados pela presidente Dilma Rousseff para substituir Graça Foster no comando da Petrobras, que enfrenta uma crise com escândalo de corrupção. A informação é da Folha de S. Paulo. Landim já trabalhou na estatal, onde foi diretor-gerente de exploração e produção. Ele também já presidiu a BR Distribuidora. O executivo enfrentou batalha judicial com o empresário Eike Batista e atualmente gere fundos de investimento do setor de óleo e gás.

Ex-diretor citou 28 políticos no esquema da Petrobras


Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff (PT), deputados, senadores, governador e ex-governadores.
A reportagem do Estadão obteve a lista completa dos citados. A relação inclui ainda parlamentares que integram a base aliada do Palácio do Planalto no Congresso como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012.
Há nomes que até aqui ainda não haviam sido revelados, como o governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014, além dos deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS). Entre os congressistas, ao todo foram mencionados sete senadores e onze deputados federais.
O perfil da lista reflete o consórcio partidário que mantinha Costa no cargo e contratos bilionários da estatal sob sua tutela – são 8 políticos do PMDB, 10 do PP, 8 do PT, 1 do PSB e 1 do PSDB. Alguns, segundo o ex-diretor de Abastecimento, recebiam repasses com frequência ou valores que chegaram a superar R$ 1 milhão – dinheiro que teria sido usado em campanhas eleitorais. Outros receberam esporadicamente – caso, segundo ele, do ex-senador Sérgio Guerra, que foi presidente nacional do PSDB e em 2009 teria pedido R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobras no Senado.
Sobre vários políticos, o ex-diretor da estatal apenas mencionou o nome. Não revelou valores que teriam sido distribuídos a eles ou a suas agremiações.
Foram citados os ex-governadores do Rio Sérgio Cabral (PMDB), do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – que morreu em um acidente aéreo em 13 de agosto, durante campanha presidencial.

MANOEL MESSIAS É O MAIS COTADO PARA DISPUTAR A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA PELA OPOSIÇÃO

O  nome  do  vereador  Manoel  Messias  é  o  mais  cotado   para  disputar  a  eleição  da  câmara  de  vereadores pela  oposição. Segundo o  presidente  do  legislativo Gabriel  Lustosa, a  eleição  vai  acontecer  depois  do  dia  vinte.  Messias  é  um  vereador  preparado  conhece  muito  bem  o  regimento  interno  da  casa,  é  um  cidadão  de  bem,  a  oposição  tem  o melhor  nome  que  é  o  do  vereador  Manoel  Messias,  disse  Lustosa.

juiz obriga Twitter a revelar quem ligou Aécio a droga




 A Justiça de São Paulo determinou a quebra dos sigilos cadastrais e eletrônicos de 20 usuários do Twitter que vincularam o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a práticas criminosas e consumo de drogas. Os advogados do tucano agora terão acesso aos dados desses usuários, o que possibilitaria a identificação e pedido de punição individual.
A decisão, do último dia 12, atende a pedido feito pelo tucano durante a eleição. Na ação, Aécio requisitava acesso a dados de 66 usuários da rede social. O próprio tucano retirou, depois, 11 nomes do processo. Dos mencionados como "caluniadores" e "detratores", 35 foram isentados de culpa pelo juiz Helmer Augusto Toqueton Amaral.
"Inegável que nossa Carta Magna garante expressamente o direito à liberdade de expressão e a livre manifestação do pensamento", diz o juiz no início da sentença.  "Ocorre que, ao passo que nossa Constituição prestigia os direitos supramencionados, ela também reconhece a importância da inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das pessoas, assegurando o direito à indenização caso ocorra alguma violação a tais garantias", conclui Amaral.
Os advogados de Aécio, por sua vez, argumentaram que os usuários formam uma "rede" paga por adversários para disseminar conteúdo difamatório nas redes sociais.(Daniela Lima e Alexandre Aragão)

PT quer tia de Daniel no Desenvolvimento Agrário




 Nos últimos dias, o nome da ex-presidente da Caixa Econômica Federal Maria Fernanda Coelho foi levado à presidente Dilma Rousseff e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como uma possibilidade que agradaria os movimentos rurais e setores à esquerda do PT, na condução do Ministério do Desenvolvimento Agrário.
A pasta já tem uma lista de cotados que inclui o ex-ministro Patrus Ananias e o presidente do Incra, Carlos Guedes de Guedes. Maria Fernanda tem no currículo o fato de ter conduzido, entre 2006 e 2011, o programa Minha Casa Minha Vida, além de projetos relacionados ao Programa de Aceleração do Crescimento.
Os grupos que trabalham pela indicação da ex-presidente do banco público avaliam que a escolha também poderia servir como uma espécie de prêmio consolação da escolha da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para a Agricultura. (Blog Poder Online - Mel Bleil Gallo)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Petrolina: moradores da Vila Marcela sofrem com esgoto na porta de casa há cerca de dez dias e reclamam de descaso


DSC03147 Moradores da Vila Marcela sofrem com esgoto na porta de casa há cerca de dez dias e reclamam de descaso
  

Os moradores da Rua Marte no bairro Vila Marcela, em Petrolina, vivem uma situação dramática com esgoto na porta de suas casas. De acordo com comunitário  José Antônio, o problema persiste há cerca de 10 dias, e apesar de já ter acionado a Compesa até o momento nada foi resolvido.
Já ligaram para fazer uma solicitação pedindo que a Compesa  fizesse o desentupimento da rede de esgoto e nada. O acúmulo de água suja traz perigo a população, principalmente para as crianças e idosos”, disse. O Blog também já entrou em contato com a Compesa e aguarda um posicionamento da Companhia. (Fonte: Carlos Britto)

CIPE-CAATINGA EFETUA ERRADICAÇÃO DE PLANTIO DE MACONHA JUAZEIRO

No último dia 15, policiais militares da CIPE-CAATINGA, após levantamento do Setor de Missões Especiais receberam informações de um plantio de maconha. Realizada a diligência localizaram e erradicaram um plantio da erva maconha (Cannabis Sativa), com 12.400 (doze mil e quatrocentos) pés em 3.100 covas, tendo quatro pés por covas, próximo à localidade de Maniçoba Velha, sendo que os pés da referida droga mediam cerca de 01(um) metro de altura. Foi localizada e erradicada também uma sementeira com seis metros quadrados de área totalizando 12.000 mil mudas. O plantio foi erradicado e incinerado no local, tendo algumas amostras apresentadas na Delegacia Regional de Polícia Civil de Juazeiro-BA, ao Escrivão de PC Vandervam Manoel Mat.: 23.039.049-0.

Quatro mulheres morrem em acidente próximo a Curaçá

Quatro mulheres morreram em um acidente envolvendo um caminhão baú e um carro de passeio Honda Civic, na BA-210, próximo ao município de Curaçá (a 92 quilômetros de Juazeiro). 
As pessoas mortas estavam no carro de passeio. Ainda não se sabe se todas são de uma mesma família. O acidente ocorreu por volta das 10h desta quinta-feira, 18. O caminhão pertence à empresa Dentil Higiene Bucal.
De acordo com as informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), uma equipe já se deslocou para o local do acidente. Os nomes das vítimas não foram revelados até o momento.

PRE pede cassação de diploma de governador eleito de Minas Gerais


PRE pede cassação de diploma de governador eleito de Minas Gerais


A Procuradoria Regional Eleitoral de Minas Gerais (PRE-MG) apresentou à Justiça um pedido de cassação do diploma de Fernando Pimentel (PT), eleito governador de Minas Gerais nas eleições deste ano. Segundo o pedido, entregue nesta quinta-feira (18), o Ministério Público alega abuso de poder econômico e irregularidades na prestação de contas, além de requerer a abertura de uma investigação contra Pimentel e o deputado Toninho Andrade, eleito como vice-governador , para que se possa decretar a inelegibilidade de ambos.  O Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-MG) contestou documentos apresentados como justificativa para despesas e receitas obtidas durante a disputa pelo governo, além de identificar que a campanha ultrapassou em mais de R$ 10 milhões o limite de gastos definido no registro da candidatura. Segundo a Veja, Pimentel alegou que o valor foi transferido ao Comitê Financeiro Único do PT, mas o tribunal acatou parecer que definia que “a prestação de contas do candidato não se confunde com a do comitê”. O MP diz, ainda, que o grupo utilizou duas estruturas de arrecadação e gastos – do candidato e do comitê do partido –, o que representaria “incompreensível método de realização de despesas pelo Comitê Financeiro e adimplemento destas, ainda que de maneira indireta, pelo candidato que, assim, deixava de ser diretamente responsável por elas”.

Lula: Graça Foster ‘é problema da presidente Dilma’



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira, que o destino da presidente da Petrobras, Graça Foster, é “um problema da presidente Dilma Rousseff”. À saída de uma solenidade no Ministério da Justiça, Lula foi questionado por repórteres se, diante das denúncias de corrupção na estatal, Graça deveria deixar o cargo. “Eu não acho nada”, esquivou-se Lula. “É um problema da presidente Dilma, não meu. Eu não posso dar palpite”.
Em seu discurso no Ministério, durante solenidade em homenagem aos dez anos da reforma do Judiciário, Lula não citou diretamente o escândalo na Petrobras, mas disse que “acima de paixões partidárias deve sempre prevalecer o direito de defesa”. Diante do procurador geral da República, Rodrigo Janot, do presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowsky, e do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, Lula condenou o que chamou de “julgamento midiático” e de “vazamento seletivo” de denúncias. Recentemente, Janot chegou a defender a substituição de toda a diretoria da Petrobras.
De qualquer forma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou comentar as pressões pela substituição da diretoria da Petrobras, empresa atingida por um esquema de corrupção e de pagamento de propina a políticos.

Sarney se despede do Senado



O senador José Sarney (PMDB-AP) fez hoje seu último discurso na tribuna do Senado. Embora seu mandato encerre apenas no dia 1º de fevereiro, Sarney aproveitou o último dia com maior presença de senadores para sua despedida após 60 anos ocupando cargos públicos.
“Levo o fato de ser o senador, o parlamentar mais longevo da história política do País. São 60 anos”, disse ao iniciar o discurso. Na fala, Sarney aproveitou para lembrar fatos históricos e defender temas atuais, como a reforma política, mudanças no controle das empresas estatais e na legislação penal para diminuir a violência no país.
Ex-presidente da República e ex-governador do Maranhão, Sarney disse que se arrepende de ter voltado ao Congresso depois que deixou o Palácio do Planalto e defendeu que o Brasil se torne um país parlamentarista. “Eu também tenho um arrependimento – até fazendo um mea culpa: penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo”, disse.
“Já expressei minha convicção de que precisamos caminhar a passos mais largos para o parlamentarismo. O parlamentarismo é uma forma mais alta, nas crises que a democracia sempre tem, cai o governo mas não se cria a crise institucional de cair o presidente, de termos o trauma de se fazer aquilo que o povo já fez, que é a Presidência da República”, complementou.
Ainda sobre crises institucionais, o senador fez referência ao delicado momento vivido pelo governo em meio à crise da Petrobras e lembrou que já apresentou há anos um projeto de lei para criar um Estatuto das Estatais. Segundo ele, seu último legado ao Senado será reapresentar a proposta.

SOBRADINHO: SEGUNDO GABRIEL LUSTOSA, LUIZ VICENTE CONTINUA APOIANDO OLIVAR PARA À PRESIDÊNÁCIA DA CÂMARA

Surgiu  um  boato  na  cidade  de  que  o  candidato à  presidência  da  câmara  de vereadores   apoiado  pelo  prefeito  Luiz  Vicente  seria  trocado  por  outro,  Gabriel  Lustosa  através  do  programa  crepúsculo mandou avisar de que  o  candidato  apoiado  pelo  prefeito  Luiz  Vicente  continua  sendo  Olivar, por  tratar-se  de  um  correligionário  de  confiança  do  grupo  e  de uma vasta  experiência  e  que  tem  quatro  mandatos  e  um  bom  desempenho  como parlamentar. Por  isso  confirmo,   o  nosso  candidato  sem  sombra  de  dúvidas,  é  Olivar,  disse  Lustosa.

Dilma diz a Cristna kirchner ser difícil montar ministérios no Brasil

Dilma diz ser difícil montar ministérios no Brasil para Cristina Kirchner


A presidente Dilma Rousseff (PT) confessou que está “muito difícil” formar os ministérios para o seu novo mandato em conversa com Cristina Kirchner,mandatária da Argentina, após a cerimônia do Mercosul. O áudio da conversa das duas vazou porque o microfone ainda estava aberto, de acordo com a Folha de S. Paulo. "Você não vai ficar para comer?", pergunta Cristina. Dilma responde: "Não, não posso. Amanhã eu tomo diploma, no tribunal, como presidente para tomar posse no dia primeiro". Quando a presidente da Argentina a questiona sobre os ministros, Dilma desabafa. "Não, não vou anunciar amanhã. Estou formando, é muito difícil. Você não sabe, no Brasil, como é", afirmou.  O Brasil recebeu a presidência temporária do Mercosul, passada justamente pela Argentina, em um evento na cidade de Paraná, no interior da Argentina.

Membro da família Maluf, modelo dispara: ‘não tenho culpa de ter parentes corruptos’


Membro da família Maluf, modelo dispara: ‘não tenho culpa de ter parentes corruptos’


A modelo Sâmia Maluf, 25 anos, nascida em Brasília (DF), adiou por um bom tempo a carreira artística por conta do seu sobrenome. Sobrinha-neta de Paulo Maluf, a beldade disparou: “Eu não tenho culpa de ter parentes corruptos”. Clique aqui e confira a foto da beldade e os detalhes na Coluna Holofote!

MENSAGEM DE NATAL E ANO NOVO DO VEREADOR OLIVAR


Natal  é  tempo  de  festas  e  confraternizações, tempo em que todos  os  povos  comemoram  o  nascimento  do  menino  Jesus. O  vereador  Olivar  e  família  estão  inseridos  nestas  comemorações,  ao  mesmo tempo  desejam  muita paz, felicidade e  muitas realizações  para  toda  população  de  Sobradinho.

MENSAGEM DE NATAL E ANO NOVO DE DR. BOGARD

NOVOS OBJETIVOS. NOVAS ESPERANÇAS. NOVAS REALIZAÇÕES.

MUITO SUCESSO NO ANO QUE SE INICIA...

QUE POSSAMOS CONTINUAR JUNTOS FAZENDO UM 2015 MELHOR!


SÃO OS VOTOS SINCEROS DE TODA NOSSA EQUIPE

CLÍNICA IMPLANTER.  RUA  DA  ARGENTINA, 124,  MARIA  GORETE,  JUAZEIRO-BA  FONE: (74) 3612-1691

Planalto suspeita ser Maia um dos citados na delação



 A súbita mudança de posição do deputado Marco Maia-PT-RS, (Foto) que alterou ontem seu relatório da CPMI da Petrobras, pedindo o indiciamento de 52 pessoas (no anterior não indiciava ninguém), incluindo Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef é vista com extrema desconfiança pelo próprio governo. A avaliação é de Lauro Jardim, na sua coluna de Veja Online.
Diz o colunista que o Planalto acha que Maia é um dos políticos citados nas delações premiadas de PRC e Youssef, e está tentando desviar o foco.

MORADOR DENUNCIA ABANDONO DO BAIRRO PIRANGA II





Em mensagem ao Blog via whatsapp o comerciante Cleisson Dantas reclama do abandono do bairro Piranga II. “Veja Geraldo, como estão as ruas do bairro! Isso não é água de chuva não, é esgoto em frente a um mercadinho do qual eu sou proprietário” declarou Cleisson.

PRE pede cassação de João Gualberto por uso de veículos da prefeitura em campanha

O deputado federal eleito e ex-prefeito de Mata de São João João Gualberto (PSDB) responde na justiça a um pedido de cassação do registro e do diploma após a Procuradoria Regional Eleitoral da Bahia (PRE-BA) ajuizar ação contra o tucano, o atual prefeito de Mata de São João, Otávio Oliveira, e o então candidato a deputado estadual Fernando Pereira.
Segundo a PRE-BA, dez veículos alugados pela prefeitura foram flagrados com plotagem de propagandas eleitorais de João Gualberto e Pereira. Dos dez automóveis, averiguou-se que ao menos oito eram abastecidos com recursos municipais e um servia, também, como carro de som, de acordo com a procuradoria. De acordo com o procurador eleitoral auxiliar André Batista, autor da representação, o prefeito valeu-se do controle da Prefeitura Municipal de Mata de São João para promover a candidatura dos outros dois representados.
Do BN

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Ausência de mulheres no secretariado de Rui Costa é questionada por Luiza Maia


Ausência de mulheres no secretariado de Rui Costa é questionada por Luiza Maia


A deputada estadual Luiza Maia (PT) questionou a escolha do secretariado do governador eleito Rui Costa (PT). A primeira lista com 14 secretários, divulgada nesta terça-feira (16), não conta com nenhum nome feminino. “Montar um secretariado que não contemple as mulheres seria um retrocesso, ainda mais considerando a política de paridade em todas as instituições aprovada pelo PT. Confio que entre os 10 nomes que ainda serão anunciados estarão  mulheres, inclusive para dar seguimento às conquistas que tivemos durante o governo Wagner, como a criação da Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres”, declarou a petista durante sessão ordinária na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A deputada ainda discutiu o projeto conhecido como Estatuto das Famílias. Para ela, o projeto tem uma carga preconceituosa, em alguns pontos, e fortalece ideais machistas e patriarcais. "Os movimentos de defesa dos direitos das mulheres lutam para garantir, entre outros direitos, autonomia financeira e emocional. Qualquer ação política que vá de encontro a isso é equivocada", disse ao convocar Lídice da Mata para a realização de uma audiência pública para discussão do tema.

SOBRADINHO: O POVO QUER SABER POR ONDE ANDA A EMENDA PARLAMENTAR DO DEPUTADO MAURÍCIO TRINDADE DESTINADA A PISCICULTURA

O  deputado  Maurício  Trindade esteve  em  Sobradinho antes  da  campanha    eleitoral e  disse  que  fez  uma  emenda  parlamentar  no  valor  de  duzentos  mil  reais  que  seriam  destinados  para  comprar  ração   e  distribuir  para  os  piscicultores. Segundo  informações  esses  recursos  estavam  sob  a  responsabilidade  da  Codevasf  que seriam  liberados  logo  após  a  campanha  eleitoral. A  eleição  já  aconteceu,  perguntamos: por onde anda  esse  dinheiro,  será  que  já foi liberado?  a  pergunta  fica  no  ar.

Relatório do PSDB sobre irregularidades na Petrobras pode responsabilizar presidente Dilma


Relatório do PSDB sobre irregularidades na Petrobras pode responsabilizar presidente Dilma


O senador Aécio Neves (PSDB) afirmou que não há "qualquer condição de continuidade" da atual diretoria da Petrobras por conta do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. O tucano disse ainda que é necessária uma investigação sobre a revelação de que a presidente da estatal, Graça Foster, foi alertada de desvios pela ex-gerente Venina Velosa da Fonseca. "Isso tem que ser investigado. (...) Não há qualquer condição da continuidade dessa direção", afirmou após reunião com vice-presidentes e líderes do partido. O senador declarou que a legenda apresentará outro relatório na CPI que investiga irregularidades na petrolífera. Para ele, o documento apresentado pelo deputado federal Marco Maia (PT) "envergonha o Congresso Nacional". O relatório do PSDB "vai propor indiciamentos e pedir de forma muito clara que essa direção não tem condições de permanecer", segundo Aécio. Quando questionado sobre a possibilidade da presidente Dilma Rousseff ser responsabilizada por irregularidades no documento, o tucano disse que "é possível que sim".

Justiça aceita denúncia contra 36 na Lava-Jato



O juiz federal Sérgio Moro abriu, hoje, ação penal contra mais dez investigados ligados às empreiteiras Camargo Correa e UTC Engenharia. Com mais essa ação, 36 dos 39 investigados na Operação Lava-Jato se tornaram réus em ações penais oriundas da investigação.
Além do doleiro Alberto Youseff e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que foram denunciados em todas as ações da sétima fase da operação, tornaram-se réus na nova ação penal Dalton Avancini, Eduardo Hermerlino Leite e João Ricardo Auler. Todos são dirigentes da Camargo Correa. Segundo o Ministério Público, a empresa simulou contratos de prestação de serviços com preços superfaturados.
O presidente da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, também passou a ser réu nesta ação. Segundo depoimentos de delação premiada, Pessoa coordenava o funcionamento do cartel entre as empreiteiras que tinham contratos com a Petrobras.
Moro ainda deve julgar pedido de recebimento de denúncia contra o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, e Júlio Almeida Camargo, da empresa Toyo Setal. Moro já aceitou denuncia contra executivos da Engevix, OAS, Galvão Engenharia e Mendes Júnior.